Tecnologia

Produtividade na transformação digital: qual o caminho para as empresas?

Por: Mutant, abril 30, 2020

Sua meta é escalar a produtividade da empresa? Só aumentar a quantidade de colaboradores não vai aperfeiçoar as equipes. Você precisa desenvolver estratégias para produzir mais em prazos menores e deixar os profissionais com tempo para desenvolver as tarefas que vão elevar o nível da marca e do seu negócio.

Mas sem tecnologia, dificilmente se chega a algum lugar. Ela muda a forma com que as decisões são tomadas e o modo como os processos são realizados, dando suporte aos gestores pra ampliar a capacidade produtiva.

Neste conteúdo, trouxemos dicas para você entender a relação da produtividade com a transformação digital e os caminhos que a sua empresa precisa seguir para atingir as metas planejadas.

Quer atuar com uma gestão cada vez mais profissional e alinhada ao mercado? Então, acompanhe!

A transformação digital

Você sabe o que é a transformação digital? Ela deixou de ser vista como ficção e faz parte do dia a dia das empresas. Os setores líderes já sofreram mudanças. A partir desse conceito, as empresas se planejam e adotam estratégias novas para otimizar a produção e fazer negócios, baseadas nas ferramentas digitais.

Com isso, diversos problemas e dilemas do mundo corporativo são resolvidos. Assim, as empresas diminuem custos, aumentam a produtividade e apresentam serviços ainda mais interessantes e relevantes para os consumidores.

É importante entender, então, que a transformação digital não é um produto ou serviço específico, mas uma maneira diferente de ver os processos empresariais.

A importância da transformação digital

A transformação digital favorece uma organização melhor. Existem plataformas, por exemplo, que permitem controlar os processos internos de uma instituição, independentemente de onde os gestores estejam. E isso, consequentemente, gera aumento da produtividade.

Além do mais, com ferramentas ligadas à Inteligência Artificial e ao Big Data, as empresas conseguem entender quais são as necessidades, os problemas e as vontades dos consumidores. Com mais inteligência, é possível melhorar os serviços atuais e conquistar relevância no mercado.

Qualquer empresa que deseja crescer no mercado de maneira sustentável precisa conhecer a fundo o consumidor. Sem isso, a chance de errar nas estratégias é grande, já que a tomada de decisão será feita apenas a partir das percepções dos gestores.

Otimizar as atividades também ajuda a diminuir custos e elevar a capacidade de produção, já que os processos serão menos manuais e realizados com ganho de inteligência.

Os impactos na rotina empresarial

A transformação digital é bem mais que criar uma página no Facebook. Ela passa por entender as necessidades dos consumidores e dos colaboradores e usar as novas tecnologias para que os processos ganhem rapidez e eficiência. Ou seja, você oferecerá um serviço melhor.

Não há limites de possibilidades para que uma empresa consiga implementar a transformação digital. Já são comuns, por exemplo, estabelecimentos como supermercados e livrarias que funcionam de maneira automatizada e digital. Em casos assim, o próprio consumidor faz o pagamento pelos itens comprados e consumidos. Como resultado, o cliente enfrenta menos filas e consegue realizar suas ações com praticidade.

Pense em processos manuais, como atendimento de clientes. A automatização facilita a descoberta das necessidades dos consumidores para proporcionar uma experiência personalizada. Dessa maneira, a abordagem será certeira ao considerar as dificuldades e os desejos deles. Como resultado, você terá clientes mais satisfeitos e que se sentem dentro dos processos empresariais.

A transformação digital pode ser empregada em diversos setores. Isso favorece que oportunidades melhores sejam mapeadas para traçar o plano de trabalho e, assim, a empresa possa oferecer uma experiência positiva, satisfatória e conveniente para as pessoas.

E outro ponto relevante é que empresas orientadas por esse cultura transformadora conseguem melhorar a distribuição da capacidade produtiva. Isto é, escalam suas operações tirando vantagens do formato home office.

O caminho para as empresas

Veja agora quais são os caminhos que você deve tomar para elevar o patamar da sua empresa e conquistar os resultados esperados.

Estrutura

Você viu que não faltam modelos para que a sua empresa se inspire, mas, antes de começar a pensar sobre o que pode ser feito, é necessário entender de maneira profunda a estrutura e os processos atuais da empresa.

Atualmente, qual é a política interna? Como os times estão organizados? A partir dessas informações, será mais fácil entender os objetivos que precisam ser alcançados e o suporte que pode ser garantido pela transformação digital.

Essa parte é importante, já que, para começar um novo caminho, deve-se determinar o ponto de chegada. Por isso, o planejamento é tão importante, ajudando a minimizar os riscos, com uma análise financeira que permita projetar as opções com base no cenário de negócios.

Caso contrário, os processos poderão ficar desalinhados, fazendo com que o investimento não proporcione os resultados que se espera.

Engajamento dos times

Os colaboradores sabem exatamente como desempenhar suas funções. Então, qualquer nova ação que mude a lógica operacional deverá contar com o apoio dos profissionais.

Por isso, é necessário mostrar como a transformação digital impacta diretamente, e para melhor, a vida da empresa, dos consumidores e dos próprios colaboradores. Isso estimula expectativas positivas, alinhando as diversas etapas e mostrando como cada integrante é fundamental no processo.

Possivelmente, os colaboradores também precisarão passar por treinamentos para entender como agir. Mais do que isso, o mindset deve ser modificado, para que as pessoas entendam tanto por que colocar o cliente em primeiro lugar quanto por que agir em um ambiente digital com soluções como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, Automação por robôs (RPA) e Big Data.

A relevância da satisfação dos clientes

Você notou que a transformação digital é um caminho sem volta, não é mesmo? As empresas que quiserem crescer e se manter no mercado precisarão se adaptar. É um trabalho que precisa ser planejado e gradual, sempre com orientação para a melhoria da experiência do cliente. Por isso, ele deve estar no centro das estratégias.

Infelizmente, em alguns casos, a automação pode dificultar os passos que um consumidor precisa para executar os serviços. Nesse caso, a percepção do público pode ser pior.

Imagine, por exemplo, o caso de um usuário que deseje atendimento bancário pelo chat do aplicativo. Ao iniciar, ele é atendido por um bot de Inteligência Virtual. Como o caso é mais complicado, o robô não consegue atendê-lo, mas, em vez de repassá-lo diretamente para um atendente, o sistema solicita que o usuário refaça suas perguntas, o que faz com que o tempo de espera para o atendimento seja muito demorado.

Nesse contexto, a avaliação do atendimento (NPS) tende a ser menor. Outro problema comum é um atendimento virtual robotizado. Entenda que os consumidores desejam ser tratados de maneira personalizada e humana. Principalmente nos casos de venda digital.

Por isso, a otimização dos sistemas deve caminhar de mãos dadas com a satisfação dos clientes. Caso um novo processo dificulte a vida dos consumidores, ele não deve ser implementado.

A Mutant pode ajudar sua empresa em toda a fase de análise e execução de planos de ação para aumentar a produtividade na transformação digital. Com a nossa expertise, torna-se mais fácil que a avaliação final do consumidor sobre a sua empresa seja positiva.

Quer saber mais sobre o que podemos fazer para melhorar a experiência dos clientes e os resultados obtidos? Entre em contato agora mesmo!

Negócios

Transformação digital nas empresas: o que fazer em tempos de crise?

Por: Mutant, abril 20, 2020

De uma hora pra outra, pensar a transformação digital nas empresas se tornou uma emergência. Os players do mercado precisam avançar no processo rapidamente por uma questão de sobrevivência coletiva.

Dizemos isso porque muitos serviços e produtos precisam estar disponíveis regularmente por um período, que pode ser mais ou menos longo dependendo de vários fatores médicos e sanitários de controle da pandemia. 

A garantia da oferta está diretamente relacionada à viabilização de meios digitais de compra e uso desses itens, a fim de diminuir a necessidade de sairmos de casa. Desde que a transformação digital se tornou disponível até mesmo para as empresas de menor porte, ela nunca foi tão necessária pra ajudar no desenvolvimento de soluções para diversos problemas — que nos pegaram de surpresa.

Não é uma história animadora, mas podemos fazer dela algo que também tenha aspectos positivos e duradouros. Continue a leitura e entenda como usar a tecnologia disponível para minimizar e superar o problema. 

O que é transformação digital?

A transformação digital é um processo que promove mudanças profundas na sociedade. De um modelo manual, burocrático e lento, estamos migrando para uma realidade mais dinâmica, fluida e prática com base em tecnologias que permitem que transações e relacionamentos ocorram no ambiente digital. 

É comum encontrar definições que limitam o conceito à adoção de tecnologia digital, como venda online, inteligência artificial e big data, mas a transformação é muito mais sobre como usamos os dados na busca de gerar valor — o que coloca os usuários no centro do processo, como beneficiários da mudança.

Um novo modelo de negócios, que permita à empresa operar no ambiente digital, precisa ser consolidado com a aprovação do consumidor, o que ocorre quando ele percebe um valor superior no produto ou serviço.

Desse ponto de vista, a transformação digital é um processo que usa a tecnologia pra criar modelos de negócio capazes de criar uma melhor solução de problemas, gerando uma experiência única e um melhor relacionamento com o cliente.   

Como ela pode me ajudar em tempos de crise?

Em tempos de crise, o que muda é a demanda do cliente. No momento presente, ele precisa de acesso a itens básicos e deseja manter sua qualidade de vida sem correr risco de contaminação. Sua empresa pode ajudar nisso?

Se sim, então ela tem uma oportunidade única de realizar seu propósito maior, inclusive do aspecto humano e de responsabilidade social e, ao mesmo tempo, consolidar a marca no mercado com um excelente desempenho.

Acontece que toda estratégia precisa de um suporte estrutural para funcionar. Nas condições atuais, a estrutura necessária envolve a capacidade de atender o cliente com o mínimo de contato presencial, a máxima agilidade e a adoção de boas práticas de higiene, compatíveis com a ameaça presente.

Ou seja, não é que a transformação digital pode ajudar: o que acontece é que hoje é impossível realizar algo realmente impactante, favorecendo uma experiência satisfatória, sem usar as ferramentas digitais e incorporar o mindset de mudança.

Pense, por exemplo, em uma pequena distribuidora de gás de cozinha. Um produto de primeira necessidade que precisa ser entregue regularmente, o que envolve uma logística complexa em toda a cadeia produtiva, desde a extração pela petrolífera até a entrega pela empresa do bairro. 

Para que tudo funcione do melhor jeito, o único modo será estabelecer um meio de comunicação e venda online. As informações precisam estar disponíveis e o sistema deve facilitar ao máximo o autoatendimento. Preferencialmente, o negócio deve ser pago por um meio digital, para que seja evitada a circulação do coronavírus por meio do dinheiro. 

Note que nos referimos a um tipo de negócio que, principalmente em cidades menores, funciona numa estrutura bastante tradicional. Os aplicativos de venda ainda não escalaram sua operação, como ocorreu no caso dos aplicativos de transporte, por exemplo. 

Outros setores, como o serviço de personal trainer, precisarão se adaptar para sobreviver nos próximos meses, e o único caminho é o da transformação digital. Apesar do momento difícil, é entusiasmante observar que a tecnologia de que dispomos pode ajudar as pessoas a manter a saúde do corpo e da mente. 

Embora o desafio seja grande e a tristeza de muitos seja difícil de assimilar sem sofrer junto, também podemos usar a transformação para impactar a vida de muita gente de um modo inesquecível e humano, obtendo redução de custos e consequente viabilização de soluções de alto impacto na sociedade.

Para entender a escala em que essa mudança ocorre, basta comparar o valor que as pessoas dão às facilidades de frequentar uma academia com a dedicação de um educador físico que se esforça para, mesmo em condições difíceis, prestar um serviço tão benéfico e importante.

Quais são as ferramentas pra incluir na minha estratégia?

Os exemplos da distribuidora e do personal podem ter facilitado o seu entendimento da lógica que procuramos passar, mas isso não significa que eles sirvam pra você pensar diretamente sobre as suas estratégias.

O que você tem de entender é a necessidade de contar com soluções práticas pra transformar sua empresa rapidamente. Por isso, neste último tópico, vamos mudar um pouco o tom do texto pra entregar o que possa ajudar na aplicação do que falamos até aqui. 

Em primeiro lugar, pense que nem sempre as empresas conseguem construir soluções altamente significativas do dia pra noite, principalmente em uma situação que não foi planejada, como a atual. Para muitos, não parar nesse período já pode ser uma grande conquista.

Pensando assim, considere que a simples implantação da tecnologia entrega automação imediata e oferece soluções prontas na forma de plataformas e sistemas para o comércio digital. Se você vai usar todo o potencial desses recursos ou apenas manter a operação no momento com algumas funcionalidades, esta é uma definição que depende da realidade da sua empresa.

Tecnologia de autoatendimento

Sistemas fáceis de implantar e começar a operar podem ajudar no direcionamento do cliente e permitem acesso aos usuários e à equipe por diferentes meios. Alguns deles adotam inteligência artificial de maior ou menor complexidade para fornecer informações que podem ajudar o cliente a entender as mudanças implementadas, sem a necessidade de um atendimento humano, o que também é possível oferecer por meio de um chatbot ou assistente virtual.

Plataformas digitais

Manter colaboradores na empresa e em constante locomoção não é uma medida aconselhável e está proibida em muitos casos. Por isso, as empresas que continuarão operando precisarão gerenciar o trabalho remoto, que só funciona com perfeição com a adoção de uma plataforma desenvolvida para essa finalidade.  

Blockchain

Embora muito ligada às moedas digitais, a blockchain é uma tecnologia usada pelas criptomoedas, mas que oferece várias aplicações distintas. Ela permite o registro de transações comerciais e a adoção de smart contracts, que automatizam procedimentos de gestão de contratos.

Robotic process automation

Essa tecnologia pode ser muito útil na solução de problemas emergenciais, pois automatiza tarefas e procedimentos mesmo que a empresa utilize sistemas antigos, com aplicações datadas.

Essa automação usa softwares (robôs) programados para funções específicas, como fazer a coleta de dados de sistemas antigos e lançá-los em plataformas avançadas para que elas façam o trabalho necessário.

Para concluir, lembre-se de que a transformação digital nas empresas não começou agora e não vai terminar depois que superarmos os problemas mais urgentes. Ela pode ser usada em qualquer crise, ou mesmo em períodos de prosperidade. Isto é, seu papel é o de mudar a natureza das soluções que encontramos para resolver os problemas dos nossos clientes.

Neste período de isolamento, aproveite um pouco do tempo pra buscar informação relevante. Assine nossa newsletter e receba conteúdos gratuitos que vão ajudar na superação dos desafios!

Tecnologia

Saiba como acelerar a transformação digital na sua empresa

Por: Mutant, julho 2, 2019

A tecnologia motiva cada vez mais formas diferenciadas de estudar, trabalhar e viver. É como se o mundo estivesse em constante revolução. E é nesse contexto que surge a necessidade de acelerar a transformação digital nas empresas. Você já se perguntou como fazer isso?

É preciso notar que o impacto disso não tem só a ver com nossas ações do dia a dia, como o fato de trocarmos o telefone fixo pelo smartphone ou a locadora de filme por uma plataforma de streaming. A relevância da transformação digital vai muito além, provocando desde processos disruptivos até novos comportamentos e formas de consumo — algo que é especialmente significativo para os negócios.

Mas apesar de a transformação digital já ocupar grande espaço no mercado, ela pode não ser tão simples de ocorrer. Os processos que são impactados por esse conceito inovador são variados e necessitam não só de aporte financeiro, para o investimento em recursos técnicos, como também de desenvolvimento humano e entendimento da necessidade de mudança.

Pensando nisso, o que os negócios precisam é se modernizar para não ficarem para trás e melhorarem suas reputações. E é justamente sobre isso que vamos falar com você neste post. Acompanhe!

Veja 3 formas de transformar digitalmente o seu negócio

Mais que uma mudança tecnológica, a transformação digital é um desafio que exige das empresas uma percepção cultural inovadora, já que não só as máquinas devem estar preparadas, mas também o time que as colocará em ação.

É necessária uma nova visão sobre o momento, um mindset que esteja de acordo com o que vem ocorrendo globalmente. Por isso, listamos 3 maneiras de absorver a transformação digital na sua empresa.

1. Elabore um bom planejamento para executar

Você está prestes a dar uma guinada no seu negócio, logo, isso não pode ser feito de qualquer forma. Não há como investir sem planejamento e muito menos conduzir uma mudança cultural e de mindset sem que tudo esteja claro.

Por isso, é importante:

  • conhecer a empresa, o momento em que ela se encontra e seus objetivos futuros;
  • saber quais são seus impedimentos momentâneos e suas soluções propostas;
  • entender como tudo isso impactará a produtividade;
  • descobrir como e até onde o negócio pretende evoluir;
  • definir tecnologias e recursos que podem ser implementados para chegar até a meta desejada.

2. Inclua pessoas no processo de transformação

A modernização da empresa não pode dizer respeito apenas às novas tecnologias que serão implantadas. As pessoas devem estar inseridas nesse processo e aprender não só a executar as ferramentas, como também a importância que elas terão em toda a jornada de transformação digital.

Incluir os funcionários no escopo, a ponto de que eles aprendam novas atividades e estejam mais envolvidos no processo, permite que a experiência seja acelerada e positiva e reforça um ponto crucial da transformação digital nas empresas: a cultura, que começa sendo transmitida aos funcionários.

3. Tenha uma infraestrutura consistente

Não há como realizar grandes mudanças sem um suporte adequado. Por isso, é indispensável investir em tecnologias que garantam a transformação digital nas empresas, com novos equipamentos, softwares, armazenamento de dados em nuvem e, é claro, profissionais capacitados para adaptar essas estruturas à empresa. Boas saídas podem ser as consultorias especializadas nesses tipos de ferramentas e processos de transição.

Hoje, está muito mais claro que as empresas vêm se preocupando cada vez mais com seu público. Isso, não só a fim de lhe vender algo pontual, mas também o valor e a ideia de que aquela marca representa seu público, porque respeita, compreende e soluciona os problemas dele. Para tanto, também são necessários investimentos em soluções tecnológicas inovadoras.

Isso pode ser visto numa pesquisa encomendada pela SAP, que revelou que 56% das empresas brasileiras pretendem aumentar a sua receita em até 10% como resultado direto da transformação digital.

Também segundo o estudo, essas ferramentas transformadoras estão sendo colocadas em prática, no mercado, através de: big data e analytics (63%), plataformas de segurança (59%), dispositivos mobile (51%), cloud computing (50%) e loT (45%). E esses esforços acabam se refletindo amplamente em todos os processos da empresa.

Confira mais sobre como acelerar a transformação digital na sua empresa, neste artigo.

As vantagens da transformação digital nas empresas

Agora que o contexto e as aplicações de transformação digital já estão mais claros, vamos ver como tudo isso pode beneficiar os negócios? Entenda algumas das principais vantagens dessas disrupções.

Incentivo à inovação e à criatividade

Quando as empresas estão buscando se adaptar às mudanças do mercado, isso exige que elas repensem seus processos, desde a base até o topo, buscando melhores formas de entregar o que já faziam.

Desse modo, a inovação e a criatividade são incentivadas, o que se percebe não só no ambiente interno, mas também no externo, com a resposta do mercado aos novos desafios.

Aumento de eficiência e excelência

Tudo aquilo que, antes, poderia ser feito de maneira manual e sistematizada, passa a ser realizado digitalmente e com automatização. Isso favorece a diminuição de perdas e custos, prioriza os acertos e reduz os atritos, além de estabelecer maior controle e eficiência entre os setores da organização, garantindo o aumento da excelência do serviço a ser entregue.

Melhoria da satisfação do cliente

Os benefícios da transformação digital não são sentidos apenas nos processos internos das empresas: eles se refletem principalmente no consumidor, na forma como ele interage com as marcas, seja no relacionamento, seja no consumo.

O cliente é o ponto-chave para acelerar a transformação digital nas empresas, porque ele é impactado constantemente por ela e determina as necessidades de mudanças a serem colocadas em prática. Ele também faz com que o mercado se mantenha competitivo e as revoluções aconteçam rapidamente e sejam melhores para todos, tanto empresas como consumidores.

E você, precisa de ajuda para colocar essa mudança de cultura em prática? Entre em contato com a Mutant, conheça nossas soluções e descubra a maneira certa de acelerar a sua empresa!

Negócios

Saiba qual é o impacto da transformação digital nas empresas

Por: Mutant, março 26, 2019

É comum ter medo de ser superado pelos concorrentes. Isso acontece com você? Às vezes, parece até que as expectativas do cliente são muito mais altas do que podemos alcançar, não é mesmo? A boa notícia é que esse desafio pode ser vencido por meio da transformação digital.

Quem quer se destacar tem que inovar. Mas é preciso repensar a estratégia, rever conceitos, fazer uma análise detalhada da qualidade de cada serviço, identificar todos os pontos de melhoria e arregaçar as mangas.

Neste artigo, vamos falar sobre o conceito de transformação digital, explicar por que muitos estão aderindo e mostrar as principais bases da tecnologia pra melhorar a experiência do cliente. Continue a leitura!

Entenda o que é transformação digital

A transformação digital é um termo que ajuda a explicar a necessidade urgente de modernizar as infraestruturas de TI. Dentro dessa metodologia, são utilizados recursos como: mídias sociais, Big Data, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e outros.

Acontece que o conceito vai muito além de simplesmente adotar a tecnologia, pois também é uma mudança na cultura corporativa. Segundo o relatório da Global Center for Digital Business Transformation, a mudança organizacional “é a base da transformação dos negócios digitais”.

Isso não é novidade, porque alterar a natureza de uma empresa significa mexer no jeito como as pessoas pensam e trabalham.

A parte digital envolve substituir os sistemas e maquinários que já existem por um software atualizado. Um exemplo é quando você deixa de usar o Office 2010 e adota uma plataforma operacional com armazenamento em nuvem. Isso quer dizer que a equipe precisa se acostumar com a novidade pra não se atrapalhar e conseguir trabalhar direito.

Conheça as bases da transformação digital

Pessoas, cultura e tecnologia fazem parte dessa base, que está dividida nos aspectos abaixo.

Experiência do Cliente

Entender as necessidades do comprador, estudar seu comportamento e conhecer seus canais preferidos é essencial para garantir o retorno do investimento. São informações que levam a uma estratégia de marketing bem-elaborada, porque o foco é melhorar a experiência do cliente, em especial no atendimento.

Processos operacionais

A modernização dos processos internos oferece uma entrega de valor maior em cada etapa da jornada de compra. Isso é feito com otimização do fluxo de informações, do trabalho em equipe e outros elementos que automatizam os processos e diminuem o tempo de resposta ao cliente.

Modelos de negócios

É importante prestar atenção nas alterações do modelo de negócio. Primeiro quanto ao seu jeito de produzir o serviço. Em segundo lugar, pra ter um olhar crítico sobre o que a concorrência pode fazer nesse sentido. Um exemplo clássico é o Uber, que inovou no segmento de transportes e surpreendeu muita gente.

Saiba por que as empresas estão aderindo

Depois de reorganizar as operações e ser bem-sucedido na mudança de cultura da empresa, o resultado é animador. Veja os principais benefícios da transformação digital!

Redução de custos

Usar a tecnologia digital pra otimizar a infraestrutura de negócio traz economia de custo por transação e aumento nas vendas. Quando os lucros são melhores, mais decisões podem ser tomadas pra dar eficiência aos processos, além de aumentar a qualidade do atendimento ao cliente.

Diminuição do retrabalho e aumento da produtividade

As tarefas digitais econômicas e focadas no cliente simplificam os fluxos de trabalho, eliminando a sobrecarga que vem de soluções desatualizadas ou offline. Além do mais, a empresa pode reunir não só a força de trabalho, mas o negócio como um todo. Isso inclui as mídias sociais, analíticas e interfaces de gerenciamento de projetos.

Trabalho otimizado

Com a digitalização, você pode combinar dados de todas as interações com clientes e fontes que antes não eram estruturadas. É possível transformar tudo isso em um formato útil e acionável pra otimizar as experiências e despesas. Todo mundo sai ganhando: você, a sua equipe e o cliente.

Capacidade de mensurar

Um grande benefício é a capacidade de rastrear métricas e analisar os dados colhidos durante os esforços de marketing digital. O uso dessas informações permite que as empresas otimizem ações e processos para chegar a um resultado mais satisfatório.

Mais agilidade

Quando não depende mais de um sistema lento de TI, a empresa fica mais rápida pra atender as tendências e demandas atuais do mercado. Além disso, todo gap pode ser eliminado, o que traz flexibilidade pra lidar com demandas em constante mudança.

Vantagem competitiva

Com um novo foco centrado no cliente, a empresa fica mais preparada pra se adaptar ao público-alvo e ao cenário competitivo. Assim, pode oferecer resultados inovadores no desenvolvimento de soluções, processos, serviços e modelos de negócios exclusivos.

Colaboração entre departamentos

Sem dúvida, muitos colaboradores têm medo de mudanças, sejam eles novatos ou não. Mas adotar práticas inovadoras é uma ótima oportunidade para promover a união da força de trabalho. Pra que isso seja possível, é importante que você seja um líder que incentive o diálogo e a troca de conhecimento.

Satisfação do cliente

Conectar sistemas e tecnologias corporativas simplifica e universaliza a experiência do cliente — não importa como, quando ou onde ele interage com a marca. Uma abordagem mais eficaz leva a um relacionamento natural com o comprador, em especial quando existe espaço para feedback.

Melhoria contínua

Com um processo simples, eficiência, flexibilidade e satisfação do cliente, é possível melhorar e expandir. O desenvolvimento ágil permite que a equipe sempre aprenda, trabalhe de forma colaborativa durante as interações regulares e aumente o próprio conhecimento.

Viu como a tecnologia é uma parceira que ajuda a concretizar o processo de evolução? A mudança organizacional é a base de tudo: se quiser mudar a natureza de uma empresa, é preciso adotar um novo jeito de enxergar, pensar e fazer.

Os benefícios de investir em transformação digital são concretos: vantagem competitiva, redução de custos, simplificação das tarefas, menos retrabalho, mais produtividade e muitos outros. Por isso, não espere pra agir. Comece agora mesmo!

Quer receber outros posts interessantes ou dicas úteis pra otimizar o resultado do seu negócio? É só curtir a nossa página no Facebook pra receber as atualizações no seu feed!

Mutant

Veja como a Mutant apoia a aceleração digital de pequenas empresas

Por: Mutant, fevereiro 10, 2022

Modernização, eficiência e resultados. Em nossa visão, essa é a melhor forma de definir a importância da aceleração digital. Por isso, aproveitamos o momento para falar sobre o conceito e, ainda mais importante, explicar como podemos alavancar a transformação digital da sua empresa.

Para isso, respondemos às principais dúvidas sobre o tema. Aqui, você entenderá o que é a aceleração digital, qual a importância dessa tendência para os negócios, quais os impactos provocados por essa transformação e como podemos modernizar a sua operação com as nossas ferramentas. Então, não perca tempo e acompanhe!

O que é aceleração digital?

A aceleração digital nada mais é do que o estímulo à transformação digital. Esse último conceito, por sua vez, está em evidência nos últimos anos, justamente por conta da importância e do protagonismo das ferramentas digitais nos dias atuais. Como nunca, é importante investir em presença, imagem e operação nas redes.

Se você está por fora dessa ideia, saiba que não há problemas. O nosso objetivo é justamente explicar o conceito e incentivar a sua decisão. Basicamente, a transformação digital é uma tendência que estimula as empresas a adotarem tecnologia para tornar suas rotinas ainda mais eficientes e produtivas.

Se parar para pensar, existem muitos exemplos de transformação digital ao longo dos últimos anos. Primeiro, a transação da mídia impressa para a mídia digital, que fez com que estabelecimentos deixassem de anunciar no papel para anunciar em plataformas online, que oferecem maior alcance e menor custo.

Em essência, é disso que se trata a transformação digital. Encontrar na tecnologia soluções mais práticas, eficientes, econômicas e produtivas para dilemas que o negócio enfrenta agora, seja no âmbito da gestão, da publicidade, da segurança, do marketing ou das vendas.

Outro exemplo emblemático ocorreu durante 2020 e 2021. Em plena pandemia, as empresas precisavam encontrar maneiras práticas de seguir operando. Foi nesse período que ocorreu a popularização do trabalho remoto, das videochamadas e de todo tipo de estratégia comercial focada nos desafios do momento.

Pequenas, médias e grandes empresas enfrentaram a necessidade da adaptação como nunca antes. Por conta disso, muitas ferramentas se popularizaram, como a assinatura eletrônica, que carrega a mesma validade da assinatura jurídica, mas oferece muito mais comodidade na autenticação dos documentos.

E a aceleração digital é um processo que tem o objetivo de agilizar essa transformação na sua empresa. Afinal, a digitalização vai muito além de investir na presença das suas marcas nas redes sociais, mas se trata de mergulhar em tecnologia e estratégia para tornar o seu negócio mais ágil e distinto do que a concorrência.

Em nossa visão, esse é um dos momentos mais oportunos para investir na modernização. Primeiro, por ser inevitável. O futuro é digitalizado, seja na comunicação, na gestão ou nas vendas. Segundo, porque nem todas as empresas estão enxergando essa oportunidade antes que ela se torne uma regra de mercado.

Qual é a importância da aceleração digital para os negócios?

Diferenciação e competitividade. Acelerar a transformação digital permite que a gestão colete os frutos de uma adoção antecipada. Ao digitalizar seus processos agora, como um early adopter, você evita a morosidade dessa adaptação no futuro, quando todos estiverem se transformando por necessidade, e não por oportunidade.

Essa é uma noção que se conecta com o mundo VUCA. A sigla abrevia os termos Volatility, Uncertainty, Complexity, e Ambiguity — Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade. Esse conceito pinta um cenário volátil e incerto conforme avançamos no futuro e na tecnologia.

É para isso que as empresas devem se preparar, sejam negócios digitais ou não. O futuro está repleto de incertezas e promete uma série de transformações que vão testar a flexibilidade do empreendedor moderno. Foi assim com a pandemia, será assim com a economia criativa, compartilhada e por aí adiante.

Quais são os impactos da aceleração para os pequenos e médios negócios?

Inicialmente, as gestões podem ficar receosas com a transformação, mas isso é normal e esperado. No entanto, o importante é focar nos benefícios da transformação. Em um todo, podemos resumir que as soluções digitais costumam entregar, pelo menos, três benefícios pontuais: economia, produtividade e resultados.

Isso só é possível por conta da injeção de tecnologia aplicada, seja por meio de um CRM moderno, uma API de WhatsApp, uma solução de assinatura eletrônica, uma plataforma que permita acompanhar o crescimento da sua marca e muito mais. Esta é a função da tecnologia: derrubar barreiras e alavancar os seus resultados.

Como a Mutant promove a aceleração digital nas empresas?

Caso ainda não saiba, a Mutant é uma empresa referencia em transformação digital, que conta com a confiança de mais de 400 marcas, nacionais e internacionais, para tornar seus processos mais práticos, ágeis, inteligentes e eficientes.

Entre nossos principais cases, destacamos trabalhos brilhantes com a Caixa Econômica Federal, o Banco Pan e a plataforma Catho. Para atingir a atenção e preferências desse público e das PMEs por todo o mundo, oferecemos um portfólio repleto de soluções para alavancar a performance do seu negócio, incluindo:

Mas além de todo o nosso portfólio de produtos, o que realmente merece a sua atenção é o nosso mais novo programa, o Mutant Nitro. Por meio dessa iniciativa, capacitamos empreendedores para serem protagonistas na revolução digital, ensinando como utilizar três ferramentas indispensáveis para se alavancar no mercado:

  • WhatsApp Comercial, uma API que revoluciona a sua atuação nesse canal;
  • Mutant Cloud, uma plataforma que centraliza e gerencia sua atuação multicanal;
  • Mutant 360, uma ferramenta completa para aprimorar sua comunicação e captação de leads.

Como pôde notar, contamos com uma série de ferramentas fundamentais para catalisar o seu negócio. Por isso, o nome do nosso programa é Nitro, pois foi criado para os empreendedores que trabalham focados em velocidade, escalabilidade, faturamento e resultados.

Agora que você tem uma noção completa sobre como podemos agilizar a aceleração digital do seu negócio, aproveite o momento para dar o seu primeiro passo nessa transformação. Para isso, basta acessar nossa página e entrar em contato!

Tecnologia

Cansado do bê-a-bá da venda digital? Estamos juntos, vamos além!

Por: Mutant, novembro 22, 2021

Transformação. Talvez uma das palavras que mais vimos nos últimos tempos. E mesmo que você já tenha uma boa ideia do que deve ser feito pra se adequar à nova realidade dos negócios — a famosa venda digital —, saiba que desenvolver o mindset inovador da sua empresa é a chave do sucesso.

Sobre isso, vamos te dar um conselho: investir em novas tecnologias vai ajudar bastante na corrida por uma performance fluida e eficiente. Podemos dar a largada?

Mais urgente que plantão

Sim, no corre do mundo, é de venda digital que a sua empresa necessita pra sobreviver no mercado. O comércio online veio apresentando um crescimento contínuo e significativo. Mas todo mundo sabe: a pandemia do coronavírus chegou e aí vender pela internet se tornou uma solução obrigatória.

Quer números? Dados divulgados pelo portal E-commerce Brasil, no período de maio, entre junho e julho de 2020, houve um aumento de 259,3 milhões de acessos aos sites de comércio virtual.

Quem já vendia pela internet conseguiu nadar de braçada no novo cenário e faturar ainda mais. Agora, quem ainda não explorava esse mundo passou aperto e precisou criar canais digitais em um piscar de olhos.

Moral da história? As formas de interagir e atender os consumidores nunca mais serão as mesmas. A tendência da venda digital veio pra ficar.

Então, #bora manter a competitividade? É justamente por isso que você deve se aprofundar no modelo e construir uma estratégia sólida o quanto antes.

Sem desafios, nem teria graça

Liderar um processo de digital transformation nunca é uma tarefa fácil. E um dos principais pontos a vencer na era de transformação digital é: como conseguir vender? #agenteteexplica

Automatizar processos

A perspectiva de vendas mudou. E assim a automação de processos ganhou um papel de destaque nas operações de vendas. A missão é viabilizar:

  • tratamento de dados;
  • controle de pedidos;
  • meios de pagamento;
  • segurança.

Isso pode ser um tanto complexo, claro. Mas saiba que é ou vai, ou racha: não é possível vencer no mundo digital sem o apoio de tecnologias eficientes.

Ser útil ao consumidor

A palavra-chave dos bons resultados na venda digital é engajamento. Sabe por quê? Como as barreiras físicas deixaram de ser um obstáculo, o público vai encontrar inúmeras empresas ofertando produtos ou serviços semelhantes.

Então, sacar o que está passando na cabeça das pessoas e apresentar uma interação personalizada é o segredo pra se destacar da concorrência. De quebra, você ainda vai fazer com que a sua marca fique na memória delas.

Bom, e qual é a receita? O segredo é adaptar o tom do marketing. Você já sabe que o consumidor moderno é exigente e valoriza o posicionamento das marcas.

E aí, nada melhor do que conteúdo relevante pra gerar uma conexão mais íntima e preparar seus alvos pra fazer compras futuras com você, certo?

Fortalecer a presença online

A presença digital forte é um passo sábio pra conquistar cada vez mais clientes. Quer ver só um exemplo? As pessoas já estavam bem presentes e ativas nas mídias sociais, mas, com a quarentena, passaram a ficar mais em casa e gastar um tempo bem maior nas plataformas.

“E o que a minha empresa tem a ver com isso?”

Bem, é simples: se ela for vista nesses canais, vai despertar interesse em potenciais compradores, que podem ser guiados diretamente às suas páginas de vendas.

A tarefa não é simples, especialmente porque não envolve apenas o domínio da tecnologia. O segredo está no equilíbrio entre se fazer constante, porém, não ser invasivo. #quevençamosmelhores

Diagnóstico de vendas é obrigação

Algumas empresas elaboram metodologias e processos comerciais quase que exclusivamente com base em técnicas de vendas, persuasão e negociação.

Ninguém vai negar a importância de tudo isso, mas os números não podem ficar de fora da avaliação. Eles têm um papel fundamental de garantir que o modelo de negócios será viável.

Por isso, pense no diagnóstico de vendas com o mindset de resultados, oportunidades, forças e fraquezas. A gente te mostra agora como avaliar esse quarteto fantástico.

Resultados

Os indicadores de vendas estabelecem as prioridades do que precisa ser melhorado. Além dos números elementares, como total de vendas, média por pedido e taxa de conversão, não dá pra deixar de mensurar informações como taxa de churn, Custo de Aquisição de Clientes (CAC) e, principalmente, lucratividade.

Não é incomum encontrar vendedores campeões, por exemplo, que levam todos os prêmios do mês, mas que focam na venda de promoções e exageram nos descontos. Comparados aos que estão em segundo ou terceiro lugares, muitas vezes, eles trazem um lucro menor — não apenas em percentual, mas no total.

Sem os indicadores corretos, a empresa não vai perceber esse tipo de detalhe e pode até incentivar práticas que não são boas pra ela. É por isso que os números são tão importantes, entendeu?

Pra determinar as métricas que precisam ser acompanhadas, levante os pontos-chave que determinam o sucesso da empresa e defina o melhor indicador pra acompanhar cada um. Um monitoramento que deve ser constante e periódico, pra que você possa trabalhar a melhoria de um jeito constante.

Oportunidades

Ao mesmo tempo, o mercado dinâmico da atualidade abre várias portas. Um diagnóstico baseado em dados, considerando a jornada do cliente e a percepção do consumidor em relação à experiência de compra, vai permitir identificar e mensurar o potencial de oportunidades. E elas estão disponíveis pra quem souber aproveitar!

Forças e fraquezas

E pra aproveitar as oportunidades e melhorar os números, a equipe precisa de competências específicas, assim como a empresa necessita de estrutura adequada.

Além do mais, podem ocorrer resistências e até boicotes a algumas boas ideias, tudo isso por causa da cultura organizacional atrasada e da falta de liderança pra reverter o problema.

Um diagnóstico de forças e fraquezas é fundamental nessa hora, pra levantar o que deve ser minimizado e o que pode ser potencializado — aumentando a competitividade da marca.

#SeLiga! Os processos, sistemas, modelos de negócios e recursos precisam ser colocados à prova pra ter um plano matador e com visão estratégica.

As diferenças entre venda digital e venda virtual

Embora ambas as modalidades aconteçam no ambiente on-line, a grande diferença entre a venda digital e a venda virtual está no fator interação humana. Isso mesmo, você não entendeu errado.

No primeiro caso, sempre existe uma pessoa por trás do aplicativo ou redes sociais pra direcionar o cliente ao longo da jornada de compra — pode ser pra encaminhá-lo a uma plataforma de compra, negociar e esclarecer as formas de pagamento, entre outras ações.

Resumindo, é aquela venda que você não precisa, necessariamente, ter um site ou loja virtual — tal como acontece nas compras realizadas pelo WhatsApp.

As vendas digitais são uma excelente estratégia para quem está iniciando um negócio online e ainda precisa entender a dinâmica do mercado, conhecer a aceitação do seu produto antes de dar um passo maior e investir em um e-commerce.

Já a venda virtual, por sua vez, é o modelo no qual o processo de compra e venda é totalmente automatizado. O consumidor chega até a loja, escolhe o produto ou serviço desejado e finaliza sua transação, sem nenhum contato com vendedores ou qualquer outra pessoa.

E cadê as vantagens de dar o play na vendas pelo call center?

A venda por call center reduz o tempo de espera e garante um atendimento humanizado. Isso, claro, se a empresa aplicar os processos certos.

As vantagens são várias, como a diminuição de custos, o aumento da agilidade e a possibilidade de monitoramento — algo mais difícil nas atividades de campo.

Muitos modelos de negócios inovadores são apoiados por excelentes metodologias e processos de atendimento telefônico. Dão respostas rápidas e personalizadas, desde que contem com uma equipe capacitada e recursos tecnológicos implantados com foco no cliente, na experiência e na humanização.

A Unidade de Resposta Audível (URA) é uma opção. Ela aumenta a produtividade e melhora a retenção de ligações, além de fornecer mecanismos de controle detalhados e confiáveis. Bom demais, não é?

O nível de automação é altíssimo, permitindo um alto ganho de desempenho. Além disso, a URA pode ser integrada a outros sistemas, e quem ganha com isso é o desenho da estratégia omnichannel.

Vale a pena vender por app?

Vender por app é uma tendência nas empresas. Afinal, favorece a experiência do consumidor. Essa afirmação é válida tanto para os aplicativos usados pelo cliente quanto para os que dão suporte à equipe comercial. Quer ver os benefícios?

Autoatendimento

Quando a empresa desenvolve um app intuitivo, funcional e dinâmico, atende à preferência do consumidor. É que o cliente assume o protagonismo no momento da compra — ele prefere resolver os próprios problemas quando tem as ferramentas certas, porque isso agiliza o processo.

Também se sente mais confortável ao administrar ele mesmo as ações. Assim, a equipe de atendimento pode focar na resolução das dores que a pessoa não pode curar sozinha. No final, o resultado é um processo prático, ágil, dinâmico e barato.

Suporte à equipe

Ao mesmo tempo, existem aplicações que dão acesso às equipes de atendimento e vendas — onde, quando e como precisam. Estamos falando de:

  • acompanhamento do funil de vendas;
  • armazenamento de dados;
  • segmentação de clientes;
  • registro e acompanhamento de indicadores.

Aumentando as vendas no ambiente virtual

Obviamente, cada negócio possui características próprias e um público específico, mas algumas ações são obrigatórias pra quem deseja ver o crescimento do seu volume de vendas. Acompanhe algumas delas a seguir.

Conheça o público-alvo

Um dos principais segredos para aumentar as vendas online está mais próximo do que muitos empreendedores podem imaginar: o seu cliente.

Entender o comportamento do público-alvo, e sobretudo as suas dores, é a peça-chave pra empresa ajustar o tom de fala e os seus processos, a fim de criar experiências memoráveis.

Mas atenção! A preferência das pessoas muda constantemente. Por isso, é fundamental sempre coletar dados, analisar tendências e características do mercado, e até mesmo dialogar com essas pessoas.

Isso vai proporcionar um melhor entendimento de quais ferramentas utilizar e como agir diante da sua audiência.

Determine funções na equipe de vendas

Outro ponto decisivo pra quem busca aumentar a venda digital é ter uma equipe de vendedores com funções bem definidas.

O raciocínio é o seguinte: se cada colaborador tiver consciência do seu papel, isso contribui não só pro alinhamento com os objetivos da empresa, mas também pra uma interação mais assertiva.

Assim, cada um deles fará o seu trabalho melhor, entregando soluções que gerem valor para o cliente.

Mostre o valor do que é vendido

Quando o assunto é venda digital, existe um ponto comum a todos os negócios: as pessoas sempre vão ter dúvidas sobre os seus produtos. Mais precisamente, se eles realmente valem o preço que está sendo ofertado.

E é aí que entra o seu papel, enquanto gestor, de adotar estratégias pra mostrar o valor do que é vendido no seu comércio digital. Mostre avaliações e depoimentos sinceros de outros clientes, divulgue-os no seu site ou redes sociais.

Lembre-se: exemplos reais geram confiança e influenciam outras pessoas a comprar.

Planeje as ofertas e os argumentos para as vendas

A experiência com o produto e o atendimento da loja são elementos decisivos para conquistar o coração dos seus clientes. Mas você já viu como eles também adoram uma oferta?

É que as promoções geram uma ideia de ótimo custo-benefício, e assim deixam as pessoas mais propensas a engajar com o seu comércio.

Portanto, pra ter sucesso na venda digital é importante planejar bem suas ofertas, de forma que elas se encaixem nas expectativas do mercado. Prepare bons argumentos e #partiusedestacardaconcorrência.

Adapte o processo de compra offline ao online

A atenção das pessoas é um dos ativos mais valiosos do mundo dos negócios na atualidade. E, como elas estão cada vez mais presentes no ambiente online, o crescimento das vendas digitais também depende de uma presença forte nesse cenário.

Por isso, adaptar o processo de compra offline ao online tornou-se uma medida indispensável. A ideia é interagir com o consumidor em diferentes canais, proporcionando a mesma qualidade de atendimento.

Sabe por que? Essa conexão aumenta as chances de fechar negócio e otimizar os resultados da empresa de um modo geral.

Uma solução especializada ajuda demais, viu

O novo consumidor tem comportamentos, necessidades, hábitos e desejos bem particulares. E a gente sabe que o processo de atendimento precisa ser humanizado e personalizado, não é mesmo?

Por isso, nada melhor do que um apoio especializado pra ajudar a empresa a entender que existem aspectos de liderança, métodos e práticas que exigem aprimoramento.

A gente pode te contar um segredo? No final, é tudo sobre pessoas:

  • como elas interagem;
  • como se comportam;
  • onde querem estar;
  • como constroem — ou desejam construir — felicidade e bem-estar.

Mas de nada adianta o máximo de esforço pra desenvolver o modelo ideal sem os recursos certos. Então, a venda digital precisa ser apoiada por uma URA baseada em três pilares: experiência, humanização e linguagem. É esse direcionamento que vai:

  • garantir uma linguagem fluida e natural;
  • melhorar a interação;
  • aumentar a fidelização e a retenção;
  • permitir o autoatendimento;
  • reduzir o tempo de espera e os custos operacionais.

Viu como a venda digital não é um bicho de sete cabeças? Com recursos adequados, suporte de uma equipe especializada, expertise e comprometimento em uma abordagem humanizada, dá pra proporcionar uma melhor experiência e ter sucesso nesse modelo que não para de crescer.

Animou pra colocar todas as dicas em prática? A gente tem excelentes soluções pra te ajudar. Tome atitude e entre em contato com o time da Mutant.

Negócios

Performance digital: 4 segredos para crescer

Por: Mutant, agosto 3, 2021

Você pode pensar que já domina a importância da transformação digital para o desempenho e bom funcionamento de qualquer negócio. Mas, e se eu te disser que sempre é possível agregar novas soluções pra acelerar o crescimento da sua empresa?

A preocupação com a performance digital, por exemplo, é um divisor de águas pra otimizar campanhas de comunicação e resultados de vendas. Porém, como são muitas estratégias disponíveis, é preciso se aprofundar no tema para garantir ações bem-sucedidas.

Se quiser entender mais sobre o assunto, é só continuar a leitura!

Os 4 segredos de performance digital para o crescimento da sua empresa

Aqui, estão reunidas as melhores práticas capazes de impulsionar a performance digital da sua empresa. Veja só!

1. Marque presença no Google Maps

Marcar presença no serviço de pesquisa e geolocalização do Google é uma ótima tentativa pra empresas que estão em busca de aumentar a visibilidade.

É que hoje se tornou muito comum que as pessoas utilizem buscadores como o Google para procurar produtos e serviços. Lembra aquele famoso catálogo telefônico que tinha na sua casa?

Pois bem, eles foram substituídos pelos mecanismos de busca online. E, nesse ambiente, os consumidores encontram não somente todos os tipos de soluções de que necessitam e respectivas localizações no mapa, mas a avaliação que outros usuários atribuíram à empresa.

Quer provas? Segundo dados divulgados pela Rock Content, 97% dos brasileiros utilizam a internet para se informar antes de realizarem compras em lojas físicas.

O mapa do Google tem prioridade nessas buscas locais, por isso, representa uma poderosa estratégia de divulgação, promoção e relacionamento com o cliente.

Além do mais, com o Google My Business, a empresa é capaz de mensurar o número de pessoas que desejam visitar seu estabelecimento.

2. Use links patrocinados

Podemos “traduzir” os links patrocinados como anúncios pagos, que têm por objetivo atrair visitantes e gerar uma possível conversão de leads em vendas.

Pra investir na estratégia, a ferramenta mais recomendada é o Google Ads, em que o anunciante escolhe palavras-chave relacionadas ao seu produto ou serviço.

Então, o raciocínio é o seguinte: no momento em que os clientes pesquisarem no Google por determinados termos relacionados à oferta da empresa, seu anúncio é exibido pra essa audiência qualificada.

Essas keywords também vão interferir em um detalhe importante: os custos. É que o preço de cada anúncio é calculado pelo número de palavras-chave que você pretende investir, entendeu?

Como regra, elas têm valores próprios e, quanto mais concorridas, mais a empresa deve desembolsar. Além disso, o Google Ads é bem flexível e permite que você comece sua campanha de marketing com qualquer orçamento — o pagamento é feito à medida que os clientes clicam no anúncio.

A dica pra garantir uma boa performance digital com os links patrocinados é focar em palavras que tenham relação com o seu negócio, porém que, ao mesmo tempo, sejam menos concorridas.

Assim, você investe menos e aumenta as chances de receber mais visitantes. Algumas das principais vantagens geradas pelos links patrocinados são:

  • segmentação: ao realizar suas campanhas, a empresa seleciona o público ideal — idade, sexo, ocupação, dados demográficos… Assim, fica mais fácil atingir pessoas com real interesse pelo seu trabalho, garantindo a efetividade das campanhas;
  • visibilidade: aparecendo nas buscas do Google, a marca se torna mais visível e conhecida dentro do seu segmento. Isso também vale para sites e blogs que abordam temas relacionados ao seu serviço;
  • resultados: por meio do Google Ads, a empresa é capaz de acompanhar, em tempo real, o desempenho de uma campanha e avaliar se o anúncio está gerando os resultados esperados, bem como rever as estratégias e abordagens caso a repercussão não seja positiva.

3. Conte com as ferramentas de análise

Assim como em qualquer outra estratégia implementada pela empresa, o grande trunfo para o sucesso da performance digital é o monitoramento — saber quais ações vêm se destacando, como os clientes estão reagindo, enfim, analisar vários dados.

Nesse sentido, algumas soluções tecnológicas são muito úteis pra performance digital da empresa. Confira com o que você pode obter insights e revolucionar a presença digital de sua marca:

4. Esteja presente nas redes sociais

Em uma era de consumidores cada vez mais exigentes e bem-informados, construir uma presença forte nas redes sociais tornou-se um requisito indispensável pra qualquer empresa, inclusive aquelas que adotam apenas o modelo físico.

Essa galera quer agilidade no acesso a informações, uma relação mais íntima e personalizada com as marcas de sua preferência e, sobretudo, ser ouvida.

Hoje, um dos pilares pra um bom engajamento e fidelização é o sentido de identidade cultural com a empresa. E nada melhor que explorar as redes sociais pra fazer essa ponte. Tudo aponta pra experiência do cliente!

Logo, procure saber em quais plataformas seus seguidores estão ativos e planeje estratégias de comunicação que tenham a cara da sua marca. Isso vai dar um salto na performance digital do negócio, acredite.

O ingrediente secreto: Mutant Nitro

O projeto Mutant Nitro é a solução que promete bombar a revolução digital no Brasil. E, com certeza, vai contribuir com a melhoria da performance digital da sua empresa.

No portfólio Nitro, você encontra uma poderosa ferramenta de atendimento e vendas, com o WhatsApp Comercial. A Mutant aproveita o app utilizado no dia a dia por mais de 130 milhões de brasileiros e o conecta de forma autônoma às principais plataformas de e-commerce do mercado.

Além disso, o projeto oferece a Gestão Multicanal (Mutant Cloud), uma plataforma desenvolvida pra suportar diferentes inovações, 100% na nuvem.

Seu foco? A conversão e o engajamento de clientes, permitindo a participação e colaboração do time de agentes. E tem mais: o Nitro engloba o Mutant M360 — conjunto de ferramentas voltadas para campanhas de relacionamento.

O intuito é permitir que as marcas possam falar com seus clientes onde eles estiverem. Resumindo, o programa Nitro entrega aos parceiros soluções tecnológicas competitivas, capazes de otimizar investimentos e receitas.

A performance digital é, assim, um elemento crucial pra que a empresa sempre tenha resultados mensuráveis em mãos, auxiliando na tomada de decisões assertivas. E, como esperado, proporciona uma performance de excelência.

Ficou clara a relevância da performance digital para o sucesso da sua empresa? Então, conheça de perto a Mutant Nitro e descubra sua competência nessa área!

Marketing

Como a estratégia omnichannel viabiliza a transformação na cobrança

Por: Bernardo Generozo, maio 18, 2021

A transformação digital jogou um grande holofote sobre a estratégia omnichannel. Porém, nem sempre fica claro como isso deve ser estruturado na empresa, principalmente quando o assunto é cobrança. Será que basta atender por telefone e chat pra ter a integração de canais?

Podemos adiantar que a resposta é não. O omnichannel vai muito além disso, mas é natural ter algumas dúvidas sobre como tirar proveito dessa estratégia. Pensando nisso, criamos este conteúdo especial em parceria com um especialista no assunto pra te ajudar a dominar o conceito.

Guilherme Mesquita é o Gerente de Operações Digitais da Mutant e traz aqui sua colaboração pra nos ajudar a navegar por esse mar de oportunidades e desafios. Confira!

O que é uma estratégia omnichannel?

O termo omnichannel se refere à integração de diferentes canais de comunicação. O objetivo é promover um alto nível de satisfação em customer experience, permitindo que o cliente escolha não apenas por onde quer ser atendido, mas possa mudar a trajetória durante sua jornada.

Um ponto importante é levar em consideração tanto o físico quanto o digital. Loja virtual, telefone, e-mail, chatbots, WhatsApp etc. Na transformação digital, todos esses canais devem estar à disposição pra mediar a comunicação do cliente, sem que isso coloque a pessoa de volta à estaca zero.

E tecnologia pra isso nós já temos! Segundo a Gartner, por exemplo, cerca de 15% de todas as interações com o cliente serão feitas por soluções baseadas em Inteligência Artificial (IA) ainda em 2021 — um aumento de 400% em relação a 2017.

Contudo, é preciso que a estratégia acompanhe o potencial da tecnologia, certo? Guilherme Mesquita destaca, por exemplo, que a falta de continuidade no atendimento é um dos grandes desafios quando o assunto é a integração de canais de cobrança.

Quais são os desafios pra implementar o omnichannel nos processos de cobrança?

Guilherme explica que poucas empresas levam esses canais ao verdadeiro status de omnichannel. O problema não está na disponibilidade, mas na perda da continuidade. Pra ele, existe uma possibilidade de migrar um cliente de um canal pra outro. “Mas sem passar o contexto novamente; aí o cliente tem a experiência de se sentir sempre iniciando uma coisa”, explica.

O resultado é que um processo que deveria ser automatizado e gerar satisfação faz o oposto. Imagine o sentimento de um cliente que busca solucionar um problema e não pode falar ao telefone no trabalho. Ele opta pelo WhatsApp, porém, ao ser transferido pra outro canal, precisa explicar absolutamente tudo de novo.

É como se fosse um novo atendimento. Já pensou no quanto isso pode ser frustrante? Por isso, quando o assunto é cobrança, um omnichannel eficiente é ainda mais importante, porque dá fluidez a um processo sensível para a empresa. Por isso, nosso especialista sugere dar atenção a um ponto fundamental para o sucesso da integração.

O primeiro passo é entender seu processo de cobrança. Isso envolve, por exemplo, mapear os clientes devedores, traçar seu perfil e identificar os canais mais adequados pra se comunicar com eles. Somado a isso, é essencial estruturar uma boa variedade de canais.

E as vantagens de investir em uma experiência omnichannel pra cobrança?

A palavra-chave aqui é customer experience. Simples. Pra Guilherme, é preciso dar ao cliente a sensação de que, de fato, ele está sendo ouvido, em vez de impor uma estratégia desenhada unilateralmente.

Pra complementar, um ponto que muitas vezes passa batido é a possibilidade de captar dados pra entender melhor seu público. Estamos falando de mapear o comportamento do cliente e ser mais efetivo nos próximos acionamentos.

Um exemplo que Guilherme Mesquita traz é o da SMS. Pra algumas pessoas, basta enviar uma mensagem com a linha digitável (código de barras), que elas fazem o pagamento. Aqui, a própria gestão se beneficia da possibilidade de rastrear melhor cada processo.

“Quando o cliente informa que já fez o pagamento, por exemplo, é colocado num follow-up de cobrança. Ele não é importunado a não ser por uma confirmação de não-pagamento. Dependendo do score do pagador, ele tem um prazo maior”. Mas isso vai muito da estratégia do próprio credor.

São diferenciais que ajudam você a elevar o nível de maturidade digital da sua empresa. Ainda assim, providenciar a infraestrutura necessária pra sustentar a estratégia omnichannel pode ser outro desafio. A boa notícia é que você não precisa fazer isso por conta própria!

Como a Mutant ajuda a estruturar a sua comunicação omnichannel?

O Gerente de Operações Digitais explica que o leque de soluções da Mutant é amplo. Então, sua empresa pode se beneficiar do uso de tecnologias e métodos, como:

  • bots de voz e de texto — WhatsApp, SMS, e-mail, Telegram, RCS (para Android);
  • portais de cobrança;
  • jornada de negociação — processo estruturado por um orquestrador da Mutant;
  • parcerias com fintechs — oferta de crédito pra clientes inadimplentes.

Isso significa que, além dos canais de comunicação tradicionais, como o telefone, você pode ampliar o escopo do seu atendimento e conquistar uma melhora em customer experience. Pra entender o perfil do seu cliente, por exemplo, a Mutant atua diretamente no mapeamento dos perfis, ajudando a desenhar jornadas específicas pra cada grupo.

Um ponto essencial é que isso também é feito de maneira personalizada, de acordo com as demandas de cada empresa. Se o seu caso é mais simples e o portal de negociação é suficiente, a Mutant providencia essa estrutura.

“É uma ferramenta de baixíssimo custo, em que conseguimos disponibilizar interações simultâneas. No portal, o cliente pode pagar por PIX, boleto, cartão de crédito etc.”. Daí as possibilidades se adequam aos mais variados perfis de empresas.

A Mutant traz ainda uma área de cobrança especializada. Isso inclui um time de User Experience (UX), pessoas de nível técnico, desenvolvedores que desenham o processo e toda a operação: analista de estratégias, cientistas de dados, coordenador de VI (pra insights do perfil do cliente) etc.

Por fim, vale destacar um dos diferenciais da Mutant: o Data Lake. A gente está falando de um local específico pra armazenar os dados que vão embasar sua estratégia. Na prática, você não está só implementando uma série de canais integrados entre si — há uma jornada do cliente que pode ser aperfeiçoada de forma constante a partir dos insights que esses dados oferecem.

Como você pôde ver, as soluções da Mutant ajudam você a desenvolver uma estratégia omnichannel personalizada de acordo com o contexto específico da sua empresa. Então, coloque a integração de canais pra trabalhar a seu favor e conquiste resultados cada vez melhores — seja na cobrança, seja em qualquer outro ponto de comunicação com seus clientes.

Quer mais detalhes sobre como o omnichannel pode se adaptar à sua empresa? Então, entre em contato com a Mutant e fale com quem realmente entende do assunto!

Customer Experience

Ou você migra para o atendimento digital, ou você não tem resultado

Por: Mutant, fevereiro 23, 2021

Crescimento das pessoas e das organizações: a transformação digital está no centro disso tudo. Basta ver os Millennials — geração que é símbolo da influência das tecnologias no comportamento atual — está em peso no mercado, seja trabalhando, seja consumindo. Entender esse cenário é decisivo para os negócios.

O ponto é que o consumidor tem expectativas cada vez mais altas em relação aos produtos e serviços que consome. Nesse sentido, o atendimento digital se tornou peça imortante para a estratégia de gestão das empresas — e isso envolve uma nova forma de pensar a relação dos clientes com sua marca.

Confira a seguir tudo o que você precisa saber sobre o tema!

Um Raio X do atendimento digital

Uma primeira questão a ser desmistificada é o funcionamento do atendimento digital. A princípio, existem diversas tecnologias que funcionam por meio de canais digitalizados — e nem por isso devemos considerar que elas trarão grandes avanços para nossa estratégia se aplicadas aleatoriamente.

Pare e pense rapidamente: qual seria a eficiência do atendimento ao cliente em uma loja de varejo cujo único canal de contato é o e-mail? É quase impensável, certo? Pois é justamente esse o ponto: mesmo as tecnologias com DNA digital evoluem. Hoje, o e-mail é uma ferramenta mais estática, sobretudo se comparado ao WhatsApp e outros apps de troca ágil de mensagens.

O atendimento digital, então, é composto de diferentes canais. O segredo está justamente na forma como esses recursos distintos serão integrados pra otimizar ao máximo cada contato com o cliente.

O dilema da integração

Algumas empresas, já com um volume gigantesco de pedidos represados no atendimento por telefone (URA), adotam o WhatsApp ou outra ferramenta digital com o objetivo de agilizar os processos. Contudo, o efeito imediato nem sempre é o esperado.

Suponha que você tem em média 1.000 chamadas pra solucionar e adota um canal de texto como esse, imaginando que ele vai ocupar 40% (400 chamadas) desse total, reduzindo o gargalo. Porém, o que a implementação traz é um resultado curioso: 600 chamados no WhatsApp e mais 700 por telefone, totalizando 1.300 contatos! De onde vieram esses outros chamados?

A resposta é simples: as pessoas gostam do WhatsApp e têm uma experiência ruim pelo atendimento telefônico em geral. Então, a facilidade do app aumentou a demanda — e sua empresa talvez não dê conta! Por isso, quando falamos de atendimento digital realmente eficiente, o planejamento deve envolver um conjunto de ações que levem em conta toda a jornada do cliente digital, atendendo às suas demandas.

No exemplo acima, um chatbot de atendimento seria bastante eficiente para reduzir drasticamente o número e, de quebra, reduzir custos. Explicaremos seu funcionamento com mais detalhes a seguir.

Os benefícios dessa prática inovadora

Um chatbot nada mais é do que um robô virtual desenvolvido com base em Inteligência Artificial (IA). Em tese, seu objetivo é, basicamente, conversar. Simples, não é? O grande diferencial é que ele pode ser aplicado das formas mais variadas — e criativas — que a situação exige. No contexto do atendimento digital, ele pode funcionar de ambas as formas: por texto ou voz.

Um exemplo do primeiro pode ser encontrado em grandes e-commerces e alguns bancos virtuais. Na prática, o robô virtual tira dúvidas, identifica dificuldades técnicas, oferece orientações ou, se for o caso, encaminha o cliente para o atendimento técnico especializado — o chamado Live Chat.

As fintechs são, decididamente, grandes fãs dessa tecnologia. O chatbot promove a automatização do atendimento, reduzindo a necessidade de uma grande equipe focada nessa atividade. Já o sistema por voz, também baseado em IA, é o protagonista das centrais de atendimento telefônico.

Tudo isso ajuda a aperfeiçoar continuamente o atendimento digital. Se você implementa um chatbot programado para solucionar o tipo de problema mais comum dos seus clientes, pode dar um passo além. Que tal identificar as causas desses chamados? Seriam dúvidas com produtos e serviços? Dificuldade para realizar um procedimento? Quer acessar outros serviços? Renegociar uma dívida?

Veja que o chatbot está usando as dúvidas coletadas para fazer você conhecer melhor seu cliente. Pouco a pouco, ele assume parcelas maiores dos chamados, aumentando a eficiência do atendimento e permitindo que as equipes técnica foquem nos casos que exigem atenção especial.

Essa centralização de canais ainda promove redução de custos e o aumento da satisfação dos clientes.

Como implementar com sucesso

Telefone? WhatsApp? E-mail? Chatbot? Voz ou texto? Uma dica essencial pra quem quer dar o pontapé inicial na estratégia de atendimento digital é não partir da tecnologia, mas das necessidades específicas da sua empresa. Comece avaliando onde você está (demandas atuais) onde quer chegar (objetivos do negócio). Além disso, confira as novidades e tendências do mercado para entender o que outros players estão fazendo.

Empresas que almejam alcançar a transformação digital devem ter um certo nível de maturidade, algo que envolve estratégia e investimento. O primeiro passo é ter uma cultura inovadora, conscientizar colaboradores, mudar o mindset etc. Mas grandes projetos como esse exigem um olhar apurado: os avanços devem ocorrer em um ritmo que a empresa consiga acompanhar!

Por isso, é fundamental contar com o apoio de quem mais entende do assunto. A Plataforma CX da Interaxa é um bom exemplo disso. As soluções da Mutant são norteadas pela performance — e isso significa que não basta simplesmente levar um grande arsenal de tecnologias para sua empresa. A equipe de especialistas combina diferentes ferramentas para maximizar o desempenho.

Na prática, você conta com uma estratégia realmente omnichannel, ou seja, com diferentes canais integrados (chatbot, telefone, e-mail, WhatsApp etc.). O gestor, então, faz os ajustes finos para melhorar cada vez mais os processos. Cada etapa da jornada do cliente é planejada e executada buscando proporcionar uma experiência ainda melhor, do fluxograma de atendimento até o monitoramento de resultados.

Como você pôde ver, não há segredo: é preciso se planejar, identificar os pontos fracos e virtualizar os processos. Em pouco tempo, o atendimento digital pode ser totalmente implementado e transformar totalmente sua relação com os clientes. Então, coloque essa tecnologia para trabalhar a seu favor!

Se gostou dos benefícios, entenda melhor o potencial dessas soluções! Entre em contato com a Mutant e fale com quem é especialista em atendimento digital!

Tecnologia

Além do digital transformation: evoluir é preciso

Por: Mutant, outubro 1, 2020

A digital transformation tá aí, presente até pra quem não percebeu. Ela se manifesta a cada contato com o cliente com:

#valorsuperior

#UX

#personalização

Como hashtags, esses pontos estão todos ligados e a tecnologia é o meio, o que não é pouco, mas não resolve sem o foco no que realmente importa. 

E nós nunca estivemos tão envolvidos com o que faz a diferença de verdade. No valor de um abraço, da companhia dos amigos, de uma galera assistindo ao pôr do sol. Com saudades de momentos simples, nos últimos meses, precisamos aprender rápido sobre como humanizar o digital pra manter a proximidade.

Aceleramos o passo e, ainda assim, estamos na retaguarda, porque a maturidade não é algo que pode ser forçado. É preciso pensar em evoluir, sem saltos, sem atalhos, mas rápido. A gente sabe exatamente como chegar lá e dá pra garantir que não tem pôr do sol igual ao lá de cima. Aceita o nosso convite pra assistir? Só vem!

Falar de transformação digital já é falar no passado

Mas, bem, a gente precisa falar!

Quem pensa que tem tempo sobrando pra transformar a sua empresa precisa de um choque, ou pode se surpreender com problemas de competitividade. Aumentar a dose de café pode ajudar, mas não basta, pois é preciso começar com a cultura da equipe. As pessoas treinam exaustivamente pra desenvolver a eficiência, e o dia a dia reforça o foco em processos, práticas e procedimentos, que continuam importantes, mas são as ferramentas, não as soluções.

No fundo, a transformação digital é sobre como usamos os dados pra mudar a vida das pessoas pra melhor, entregando soluções superiores em cada ponto de contato, canal e situação e pra pessoas únicas. 

Quanto mais uma empresa escala sua operação, mais pessoas diferentes se relacionam com a marca. Pra gerar valor, é preciso administrar e processar dados sobre necessidades diferentes.

Um economista e filósofo austríaco, que ganhou o prêmio Nobel, chamado Friedrich Hayek, já defendia que a economia é orgânica. Ele dizia que as pessoas não são peças em um jogo de tabuleiro, que podem ser movimentadas pela vontade das decisões de um burocrata. Elas vão tomar suas próprias decisões em busca da felicidade, mesmo em regimes autoritários, que tentam forçar as pessoas.

Se isso já fazia sentido no começo do século passado, agora pulsa diante de nós como um dedo latejando depois de uma topada. A digital transformation amplia o universo de relacionamento das empresas e aumenta os efeitos de nossas diferenças.

Não dá pra pensar nessas mudanças só como tendências, que envolvem big data, disrupção, IA e outros fenômenos e tecnologias. Não existe uma solução única, um tipo de atendimento que satisfaça diferentes consumidores, com diferentes culturas, em vários países, com diversificados padrões de renda.

Não são apenas as empresas se transformando. É a sociedade que está mudando e são as pessoas que precisam aderir ao movimento. Qualquer empresa pode lançar um produto incrível, mas ele não vai passar de uma invenção, candidata ao museu das novidades, se as pessoas não conhecerem e comprarem a ideia por trás dele. São as gentes que fazem a inovação, assim mesmo, no plural. 

A grande mudança vem na forma que passamos a viver com a adoção de soluções cada vez melhores para os problemas. Usamos a tecnologia pra isso e, agora, ela nos permite fazer muito mais, mas temos que apertar o passo pra não ficar na retaguarda. Isso vale para as empresas e os países. Então, como a gente estrutura essa trajetória?

Tudo começa na base

digital transformation

Pra saber por onde começar com digital transformation, alguns podem ceder à tentação de fazer uma lista de coisas, como instalar um bot e usar a blockchain, mas nada pode ser reduzido a uma ou duas medidas. Além de ser muito mais sobre como usar o bot, do que usá-lo ou não. 

Outro ponto é que os alicerces da transformação começam com a liderança, que precisa se comprometer com as mudanças e com a descentralização do poder de decisão, o que pode ser difícil pra quem se acostumou com ele. Hoje, boa parte desse poder está com cliente, que tem voz mais presente e, mesmo que sem ser direto, participa das decisões.

Ao menos deveria ser assim: gestores usando a empatia e a informação pra tomar decisões sobre experiências, produtos e serviços com base na perspectiva do consumidor. Faz todo o sentido, certo? Afinal, não é de hoje que sabemos que ele pode simplesmente acabar com uma boa oportunidade se decidir comprar em outro lugar.

Agora, também é preciso se preocupar com o engajamento da equipe. E mais: aprender a conviver com erros, pois eles fazem parte do aprendizado. É lógico que existem limites, mas um colaborador não pode sentir a necessidade de evitar mudar pra não ser punido ou cobrado exageradamente por erros elementares, que não comprometem o negócio.

  • Forte ação da liderança
  • Construção de capacidades
  • Treino de funcionários
  • Atualização de ferramentas
  • Eficiência de comunicação

Deu jeito de anotar a checklist? Tudo isso precisa entrar no fluxo quando falamos em fluxos efetivos de dados e contatos. It all comes to that.

#1 Processos: organizando pra fazer bem

Os processos, aqui, têm um papel especial, mas não são apenas sobre eficiência, qualidade de execução e produtividade. Processos digitais são mais flexíveis e personalizados, alinhados com a jornada do cliente e dinâmicos.

Os procedimentos que seguem um padrão podem, finalmente, ganhar com automatização, o que deixa as pessoas mais livres pra assumir uma posição estratégica, dedicada a resolver problemas e situações complexos. Chega de perda de tempo e recurso!

Processos automatizados e digitalizados também geram mais informação. E esta, você sabe, quando bem utilizada, ajuda a identificar gargalos e adaptar ações. Nas empresas digitais, os processos tem de evoluir de um modo progressivo e automático, como as metodologias ágeis.

#2 Modelos: mudando ao sabor do vento

A maioria de nós não viu o nascimento da televisão, mas não precisa ir muito fundo na história pra perceber que, no começo, faziam rádio na TV. Os mesmos programas transmitidos pelas estações de rádio passaram a ser reproduzidos na telinha. O tempo passou e uma nova linguagem surgiu.

Quando a internet começou, foi a mesma coisa. Os primeiros sites reproduziam materiais gráficos de divulgação, catálogos de papel e eram muito pouco interativos. Um pouco pelas limitações tecnológicas da época, mas também por causa da forma como as pessoas enxergavam a comunicação.

Por motivos óbvios, os publicitários não estavam acostumados a receber respostas em seus anúncios de outdoor. Agora, as mensagens chegam de todos os lados. 

Com a transformação digital, não está sendo diferente, sabe. Começamos com a mesma linguagem e forma: o modelo de negócios. Mas não foi o que as empresas aéreas fizeram recentemente, ao inovar no modo como comercializam passagens. Foi?

Nossos pais não viajavam de avião como fazemos e, em boa parte, isso mudou com a digitalização das empresas do setor, que passaram a operar com:

  • modelo de negócios novo
  • preço inferior
  • compra online
  • eliminação de intermediários

É isto: praticamente todo modelo foi alterado. Os canais, a proposta de valor, as atividades, os recursos e o relacionamento com o público. Ao mesmo tempo, o setor não precisou de nenhuma grande revolução tecnológica além do que muitos sites de e-commerce já fazem, mas o impacto foi profundo. 

#3 Experiência: sentindo o resultado

O que a experiência envolve? Respondemos rápido: um amplo levantamento de dados de comportamento e hábitos que permitem identificar a jornada do cliente nos detalhes e garantir o melhor dos mundos. Mas ok, até aqui, nenhuma novidade. 

A questão é que mesmo a transformação do setor aéreo que usamos de exemplo já faz um pouco parte do passado. Há muito mais acontecendo no mercado, pois o cliente identifica em um piscar de olhos o que faz bem pra ela, acostuma rápido e cobra sem constrangimento.

Por isso, a experiência se tornou parte do valor. O consumidor quer viver uma vida boa, e isso inclui os momentos nos quais ele compra, pede, troca, indica e até quando reclama e espera. Quanto mais agradável a experiência, mais valor tem o produto e o serviço.

E, vamos ser sinceros, isso sempre foi assim. Nenhum cliente jamais desejou esperar demais, não ser ouvido, ter dificuldade pra mexer com uma interface de software e encontrar o que deseja no site ou passar por qualquer outro inconveniente. As marcas é que não se preocupavam com isso tudo, é claro. E algumas se mantém assim, mas a digital transformation sabe cobrar o preço. 

Não é só que essa experiência ficou digital, o consumidor e a troca de vivências também. As pessoas adoram conhecer experiências, ouvir depoimentos e ficar por dentro de oportunidades.

Efeitos reais + UX: tudo a ver

Os impactos significativos de todo o processo dependem de uma abordagem em que a transformação é uma estratégia digital, não uma mudança simples de procedimentos. Muitas empresas ainda vão perder muito por simplesmente executar projetos digitais, no lugar de transformar o modelo, com foco na experiência.

A ligação entre esses dois pontos é porreta. O design da experiência promove grandes mudanças em toda a jornada do usuário, desde quando ele faz pequenas pesquisas, até quando decide e se relaciona. 

Pra que a UX cause impacto de verdade, deve estar mais atrelada a dados do que a novas tecnologias ou funcionalidades. Com base neles, as empresas podem rever o modelo de negócios e o design da experiência pra simplificar a jornada. E se não fizerem isso? Bem, só precisam esperar a primeira startup entrar no setor pra evidenciar as novas possibilidades que já estavam esperando por uma empresa que as aproveitasse. Sounds familiar, right?

Fazer gestão tradicional é coisa ultrapassada

As empresas se esforçam pra usar recursos digitais pra melhorar a eficiência e fazer a receita crescer. É um primeiro passo, baseado em uma visão comum. Ele é importante e pode ajudar ao usar a automação pra deixar a equipe mais livre de tarefas repetitivas. Antes que isso ocorra, pode ser muito difícil pra alguns negócios, especialmente os de maior porte, concentrar a equipe em um foco mais estratégico, realmente customer centric.

Mas ao pensar em estratégias, o segredo é: desenvolver modos diferentes de fazer as coisas, não apenas com mais eficiência do que antes ou melhor do que a concorrência. Ou seja, não é sobre talento técnico, mas sobre habilidades de pensar como fazer a transformação digital acontecer, que vai além do que imaginar como ela deve ser.

Processos velhos? GET OVER IT

Nesse novo universo, as empresas precisam providenciar uma mudança de perspectiva operacional. A maioria dos processos não geram diferencial porque são elaborados com base na melhor forma de executar um procedimento. 

Essa abordagem funcional não pode consumir a energia dos esforços da empresa, que precisam se concentrar em oferecer uma experiência única e personalizada. Afinal, já te contamos antes que, em um mundo digital, os processos se moldam.

A revisão dos procedimentos faz parte da digitalização. A inovação e as tecnologias digitais vão eliminar a necessidade de muitas burocracias e controles. Não há razão pra exigir coisas como carimbos. Processos e procedimentos obsoletos vão perder o sentido, mas todos podem estar tão acostumados com eles que não percebem o problema sem uma revisão ou até que um cliente reclame, provavelmente irritado e com razão.

O mundo fala, você escuta

A transformação digital ocorre em um ambiente volátil, incerto, complexo e ambíguo: VUCA. Significa que a realidade ao redor da empresa vai mudar sempre, que muitas variáveis não poderão ser previstas, que elas serão numerosas e complexas e que o sentido das coisas poderá ser interpretado de pontos de vista contrários, ambíguos.

Se a empresa não for capaz de se estruturar pra enfrentar essa realidade e se adaptar a ela, pode ficar impossível sobreviver no mercado. É essa estruturação que pode descomplicar um pouco o mundo, pra engajar as pessoas e minimizar o efeito do que é impossível prever com uma melhor precisão sobre outras variáveis previsíveis.

O squad das galáxias

Não existe satisfação do cliente sem uma equipe incrível. Em primeiro lugar, ela precisa estar satisfeita, pois poucos se dedicam a contribuir na solução dos problemas dos outros, enquanto não resolvem os seus. 

Além disso, as pessoas devem se engajar em torno de um propósito comum. E nada disso ocorre sem uma estratégia pensada desde o processo de seleção. É muito mais fácil capacitar as pessoas certas do que transformar as que não têm afinidade com a visão de futuro da empresa. Verdade nua e crua.

Aliás, capacitar é outro ponto-chave na transformação digital. Não importa mais o setor de atuação de cada um, a tecnologia está em tudo. Por isso, são necessários no mínimo conhecimentos sobre uma especialidade e a tecnologia aplicada a ela.

Se você não é diferente, já tá errando

As estratégias de diferenciação estão na ponta da língua de todos os profissionais de comunicação. Posicionamento de marca, experiência, modelo de negócios e várias ferramentas precisam trabalhar pra evidenciar que a nossa solução é única, pra ocupar o espaço devido no mercado. 

Acontece que a estratégia de diferenciação precisa ser algo abrangente. O foco é entregar um conjunto de características fazem a diferença se destacar a quilômetros da concorrência. Mentalize este mantra:

A maior influência na competitividade é a diferença do valor entregue ao consumidor. 

digital transformation

O cliente é que sabe

Que o atendimento ao cliente é uma chave importante ninguém duvida, mas a forma como usamos o autoatendimento precisa mudar em no time. Basicamente, a primeira abordagem das empresas a esse serviço é a economia. Basta pensar no melhor exemplo, o dos supermercados, baseados em um conceito antigo de marketing: a industrialização dos serviços.

No lugar do atendente da mercearia, que precisava pegar os produtos pedidos no balcão pelo cliente, o próprio comprador escolhe e separa o que ele deseja Em outras palavras, o cliente assume parte do processo de atendimento. E quem agradece por isso são os custos.

Mas no contexto da transformação digital, o autoatendimento não é apenas sobre reduzir gastos operacionais, não. Esse é apenas um benefício adicional, que a empresa leva de brinde. A maior vantagem é que o cliente é atendido por aquele que mais conhece os seus desejos e necessidades: ele mesmo.

Você não vai encontrar uma resposta em uma pesquisa de satisfação na qual o comprador reclame dele si, mas é bom saber que ele pode ter dificuldades se o design da experiência não facilitar a vida dele na busca pelo que deseja.

Tudo na base do dado

A digital transformation é um grande desafio. A gente tá sendo exigente aqui abordando o tema com você, mas sabemos perfeitamente da dificuldade das empresas em obter o máximo aproveitamento das oportunidades de mudança reais e mais profundas. Pois bem, quer uma ajuda? A blockchain torna a transição mais fácil. 

A questão é que esse sistema faz com que um bom volume de partes eletrônicas contendo dados se comunique, colabore e realize transações com segurança sem intervenção humana — validando dados e compartilhando resultados globalmente.

O armazenamento em nuvem tem contribuído, permitindo a consumidores e empresas se conectarem em todo o mundo, mas a tecnologia blockchain é de fato o próximo grande pulo. Ela é muito mais do que um arquivo inerte salvo na nuvem. Contratos inteligentes podem executar serviços automaticamente e interagir com sistemas de pagamento e registro diversos.

O Bitcoin é um bom exemplo. Ele não existiria sem a blockchain. Por isso, a pergunta que você pode fazer é sobre o que ainda não foi feito no seu segmento e que pode fazer um bom uso desse recurso.

Plataformas, as rainhas de tudo

Plataformas integradas são poderosas na transformação porque juntam várias tecnologias e são geniais pra promover comunicação. Parceiros, freelancers, clientes, fornecedores e unidades da empresa podem interagir e contribuir com base no acompanhamento de projetos e tarefas.

As empresas tradicionais estão acostumadas a gerenciar o tempo que as pessoas dedicam ao trabalho, mas as plataformas garantem o que há de melhor: administram o resultado das entregas. É uma mudança e tanto na forma de administrar negócios e determinar o valor do que fazemos que, normalmente, costuma ser associada a uma teoria chamada valor-trabalho, que vem de estudiosos históricos, como Adam Smith, David Ricardo e Karl Marx.

No mundo digitalizado, um trabalho entregue com agilidade vale mais. Além disso, o controle do tempo dedicado ao trabalho é inviável de ser feito a distância. O trabalho remoto depende das plataformas, que podem reunir big data, análise de dados, IA, aprendizado de máquina, mobilidade, segurança, mídia social e método.

As boas plataformas são construídas como uma tecnologia de gerenciamento de processos. É por isso que andam de mãos dadas com a transformação digital e ainda mantém foco operacional e estratégico. 

Elas ampliam a forma como fazemos negócios e operamos os processos. Afinal, permitem fazer as mesmas atividades com mais rapidez, menor custo e maior eficiência. Ao mesmo tempo em que melhoramos a visão global, enxergando tudo na empresa da um jeito mais sistêmico. 

A transformação digital quase sempre gera mudanças na operação e as plataformas dão vida a ela, melhorando a dinâmica e a fluidez de dados. Além disso, as plataformas digitais também oferecem uma condição única de testar novos processos e funcionalidades, reagir a esses testes e repeti-los até alcançar uma condição desejada e superior. Bom demais, concorda?

Se liga na visão

Tenha em mente que outros players não vão ficar parados. Toda tecnologia que você tá usando também está nas mãos deles e vai contribuir pra que eles alcancem o mesmo patamar, não importa quem saiu na frente. Isso significa que as condições de mercado são acirradas e que a visão estratégica da sua empresa precisará evoluir pra se fortalecer.

Aliás, aí está um termo que não devemos deixar de repetir: evoluir. Ele traduz boa parte da lógica que estamos dividindo com você aqui. 

Se a empresa tiver uma boa capacidade pra evoluir rápido, o ganho de competitividade será imenso. O motivo é fácil de entender e perceber: a transformação digital aumenta a importância da velocidade. Não é, logo, questão de subir alguns degraus pra ficar no topo, mas de escalar continuamente em direção ao cume.

Para bom entendedor, meia palavra basta

Mas e se fosse pra resumir tudo isso em um último parágrafo? Desafio aceito! A digital transformation é sobre líderes que inspiram, marcas que transformam, equipes que se engajam, se comprometem com a UX e com a proposta de valor. E essencialmente é sobre como fazer acontecer uma mudança que, de fato, impacte positivamente as nossas vidas.

Com a ajuda da Dextra, a Alelo alcançou tudo isso. Confira o case!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.