Tecnologia

Cloud computing: tudo que você precisa saber para a sua empresa

Por: Mutant, agosto 10, 2021

A quarta revolução industrial chegou trazendo na sua bagagem importantes mudanças em relação à conectividade, tecnologias avançadas de análise de dados, cloud computing, entre outros recursos que viabilizaram a criação de negócios inteligentes.

É isso mesmo, você não leu errado! O impacto dessa nova era tecnológica não se limita à indústria. As dinâmicas de trabalho, os modelos de atuação ou relações de consumo, enfim, o mercado como um todo é beneficiado.

Pra sua empresa não ficar de fora, a gente trouxe as principais informações sobre o tema e os motivos pra investir nessa cultura que já não é mais uma mera tendência. Se liga!

O que é cloud computing?

Cloud computing, ou computação na nuvem, nada mais é que uma tecnologia que possibilita o uso de programas ou serviços sem que eles estejam instalados no disco rígido do computador.

Nesse sistema, as mídias e os arquivos ficam salvos em espaços virtuais, também conhecidos como data centers, que são interligados pela internet.

Armazenar, processar e executar arquivos: são esses os fundamentos da tecnologia. E a lógica é simples. Os dados arquivados em rede são acessados de forma remota, a partir de qualquer dispositivo e local que o usuário esteja.

Sabe o famoso trabalho remoto que as pessoas tanto falam atualmente? Pois é, a computação em nuvem é um elemento fundamental pra que ele aconteça.

Outro exemplo bastante comum dessa tecnologia são as plataformas de streaming, em que o usuário paga pra usufruir do conteúdo, sem a necessidade de baixá-lo.

Qual é a importância da cloud computing?

A importância da cloud computing para o mundo corporativo se resume nas seguintes palavras: flexibilidade, eficiência, economia, segurança e escalabilidade.

Em pleno auge da era digital, aproximadamente 2,2 milhões de terabytes são movimentados diariamente no ambiente virtual. É o que diz o relatório da IDC, The Digitization of the World.

Mas isso não é tudo! O documento ainda aponta que a esfera de dados global cresceria de 33 zettabytes, em 2018, pra 175 zettabytes no ano de 2025 — ou seja, 5 vezes maior.

Deu pra entender a relevância de dominar essa área e colocar em prática um plano estratégico de cloud computing o quanto antes?

Com tantas informações trocadas, ser orientado por dados significa fazer esse ativo virar conhecimento estratégico pra guiar as ações empresariais.

Assim, ao focar na cultura data driven, você entenderá a fundo o comportamento do consumidor e os movimentos do mercado.

Não se trata apenas de uma solução inovadora e moderna, mas de um recurso que favorece o bom desempenho das operações de qualquer negócio, independentemente do seu tamanho ou área de atuação.

A computação em nuvem permite que desde as grandes corporações até o pequeno empreendedor tenham acesso à infraestrutura necessária pra operar nesse cenário.

A prova de que isso já deixou de ser uma tendência é que, segundo o relatório do State of Cloud, estima-se um percentual de 94% das empresas utilizando pelo menos um serviço de computação em nuvem.

Em um curto espaço de tempo, essa tecnologia tem se tornado cada vez mais presente na rotina empresarial, com um leque diversificado de produtos e serviços pra aprimorar as habilidades e a capacidade analítica da equipe.

Com a cloud computing, tem-se uma visão ampla e profunda sobre tudo o que se passa na empresa. E o resultado é a melhoria nas decisões e performance.

Quais são os tipos de computação em nuvem?

Agora que você já sabe o que é cloud computing, é importante ficar por dentro dos tipos de nuvem existentes no mercado.

Afinal, isso interfere diretamente na escolha das suas estratégias de transição, certo? Veja quais são as principais alternativas a seguir!

Pública

Na nuvem pública, toda infraestrutura de computação é gerenciada pelo provedor — hardware e software, manutenção, serviços disponibilizados e requisitos de segurança.

Esse tipo de tecnologia oferece ações rápidas e escaláveis, que podem ser utilizadas por qualquer pessoa ou empresa. Afinal, cada cliente tem o seu ambiente separado de acesso aos próprios dados.

Além disso, a nuvem pública pode ser gratuita ou paga. Porém, no último caso, os custos iniciais de aquisição são mais baixos do que as demais alternativas.

Privada

Embora a nuvem privada possa ter uma arquitetura idêntica à da nuvem pública, nesta categoria somente um cliente ou organização pode usar a infraestrutura — ainda que ela seja acessada remotamente.

Outro fator que merece destaque é que a gestão da nuvem privada pode ocorrer tanto internamente quanto por um provedor terceirizado.

O diferencial desse serviço é o maior controle das suas configurações, bem como a capacidade de customização.

Assim, podemos dizer que esse tipo de computação em nuvem traz benefícios adicionais ao modelo de nuvem pública. No entanto, os custos envolvidos na operação, via de regra, são mais elevados.

É que na nuvem privada a responsabilidade de gerenciamento fica toda a cargo do departamento de TI e da empresa. Consequentemente, a aquisição de ferramentas e soluções também é maior.

Em virtude disso, a nuvem privada apresenta um processo de implantação mais lento. Na prática, ela demanda os mesmos esforços de um data center tradicional.

Híbrida

Como o próprio nome sugere, a nuvem híbrida é a combinação de nuvens públicas e privadas, permitindo que a empresa faça uso de cada uma delas conforme suas necessidades.

Normalmente, as tarefas de computação não sensíveis são atribuídas aos recursos da nuvem pública, enquanto os aplicativos e outros sistemas críticos do negócio são mantidos na nuvem privada.

Nesse sentido, podemos dizer que a computação em nuvem híbrida oferece os melhores recursos desses dois mundos — explorar o potencial máximo com menor exposição a riscos.

Quais são os serviços relacionados à cloud computing?

No que diz respeito aos serviços prestados dentro do universo de cloud computing, basicamente são três categorias encontradas no mercado: SaaS, IaaS, PaaS.

Embora elas apresentem características semelhantes, é importante conhecer as diferenças que abordaremos a seguir.

Software as a Service — SaaS

Essa é a categoria de serviço em que o usuário consegue aproveitar os recursos do software, sem a necessidade de ter esse componente instalado na máquina ou de ter que comprar uma licença.

É uma ferramenta de uso totalmente online. Nesse caso, o mais comum é que os usuários façam um pagamento pra utilizar o produto, por um período de tempo determinado.

Qual é a vantagem nisso? A empresa não precisa investir em computadores robustos pra realização das suas tarefas, ainda que mais complexas.

Em outras palavras, você gera eficiência e, ao mesmo tempo, reduz custos do departamento de tecnologias.

Infrastructure as a Service — IaaS

A Infraestrutura como Serviço é um modelo que tem como foco a disponibilização de mecanismos, como servidores, armazenamento e processamento de dados, redes, entre outros.

Dessa forma, a empresa não precisa direcionar esforços pra aquisição de um próprio data center e de uma estrutura interna com roteadores, servidores e toda infraestrutura de TI necessária para suas operações.

As nuvens de IaaS possibilitam entregas on demand. Isto é, elas se adaptam às peculiaridades de cada cliente, proporcionando maior grau de automação das tarefas, bem como mitigando de maneira significativa os riscos de falhas.

Platform as a Service — PaaS

O serviço de PaaS consiste em plataformas voltadas para o desenvolvimento de softwares e aplicativos.

Nesse caso, a empresa se encarrega da parte de programação propriamente dita, e o gerenciamento dessa infraestrutura — manutenção, atualização, administração — fica a cargo do provedor.

Além do mais, o cliente tem acesso aos principais sistemas operacionais e recursos do mercado pra criar ou modificar suas aplicações.

Por que devo investir em computação em nuvem?

Se você está procurando motivos plausíveis pra investir em cloud computing, aqui estão algumas verdades: a transformação digital na empresa é um dos pilares pra alcançar o sucesso de qualquer corporação.

Hoje, operar na nuvem é uma questão de sobrevivência. É impossível se manter competitivo sem guiar as operações da empresa sem as funcionalidades estratégicas da computação em nuvem.

Sabe por quê? Estamos em plena era digital, onde as ações realizadas no ambiente online geram um imenso volume de dados.

Pra utilizar esse ativo a favor do seu negócio, é preciso contar com as ferramentas adequadas. E a computação em nuvem, sem dúvidas, é uma delas.

Esse tipo de solução tem um campo bastante amplo de aplicações pra tornar o seu negócio mais competitivo, permitindo organizar os processos internos da forma mais otimizada possível.

Nesse cenário, podemos destacar alguns elementos-chave que representam excelentes benefícios desse modelo de computação em nuvem. São eles:

  • melhoria de desempenho;
  • redução de custos;
  • aumento da segurança;
  • diminuição do uso de espaço físico;
  • flexibilidade na gestão dos recursos;
  • maior liberdade;
  • maior eficiência.

Verdade seja dita: no sistema de nuvem a empresa consegue trabalhar com os dados gerados de forma muito mais confortável e ágil.

A equipe pode acompanhar a atualização de documentos em tempo real, de modo que cada membro passa a ter maior consciência do seu papel na organização.

Isso sem deixar de mencionar que o processo de tomada de decisões se torna bem mais acertado, e o tempo de execução das atividades no geral é otimizado.

Resumindo: da gestão de talentos ao fluxo de caixa, o uso da cloud pode estar presente em todas as etapas da rotina da empresa.

Considerando que o mundo corporativo é extremamente dinâmico e está cada vez mais apoiado na digital transformation, investir nesse segmento é o caminho pra fortalecer os seus pontos fortes, bem como encontrar novos mecanismos pra suprir eventuais falhas.

Como implementar a computação em nuvem na minha empresa?

Um dos pontos de partida pra implementar a computação em nuvem no seu negócio é tomar muito cuidado com a velocidade em que as medidas serão tomadas.

O ideal é que a migração ocorra de forma gradual, com um plano estratégico pra transportabilidade dos dados — um projeto Go-to-Cloud.

Esse é um passo fundamental pra evitar dores de cabeça e possíveis falhas no processo. Mas outro passo importante é o autoconhecimento.

Saber exatamente do que o negócio precisa e quais são as prioridades na implementação das mudanças é primordial.

O sucesso da estratégia está diretamente ligado à elaboração de um plano de contingência: estabelecer diretrizes para o caso de o provedor passar por instabilidades — como proceder pra solucionar esse problema em curto ou médio prazo, caso ocorra.

E não vamos nos esquecer do treinamento dos colaboradores, não é mesmo? O alinhamento da sua força de trabalho é essencial pra conseguir transformar o seu negócio.

Lembrando que cada empresa tem as suas peculiaridades e enfrentará um processo de evolução único.

Pronto. Agora você já sabe por onde começar!

Como a segurança de dados se relaciona com tudo isso?

A segurança de dados costuma ser um ponto de desconfiança e resistência pra muitos gestores, especialmente aqueles com pouco conhecimento do tema.

Mas, adivinha só: empresas que utilizam a cloud computing estão bem menos vulneráveis a ataques, quedas de sistema e demais falhas relacionadas à proteção.

Ao migrar seus sistemas e informações pra nuvem, é mais difícil que outras pessoas tenham acesso de forma externa. Logo, a segurança em cloud é naturalmente mais elevada.

Não ficou claro? É que os serviços de computação em nuvem rodam em plataformas eficientes, que exigem dos usuários uma senha pra entrar naquela área.

E não para por aí! Nesse modelo, documentos e informações também podem ser hierarquizados, ou seja, a empresa pode implementar ferramentas de controle pra delimitar as pessoas com acesso a tais espaços.

Biometria, senhas e outros mecanismos estão disponíveis pra aumentar a segurança contra extravio de documentos e dados. Além de eliminar os riscos de danos, é claro.

Isso quer dizer que a cultura de cloud computing otimiza não só os resultados financeiros de uma empresa, mas também reforça a sua segurança.

Viu como a cloud computing é uma tecnologia que vive em constante evolução e gera inúmeras oportunidades pra sua empresa identificar e experimentar recursos mais eficientes?

O uso da cloud computing é o presente e também o futuro do mundo corporativo. Uma mudança que proporciona uma configuração única para o seu negócio.

Então, que tal levar sua empresa ao próximo patamar? Entre em contato com o time Mutant e conheça as soluções ideais para seu processo Go-to-Cloud!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.