Negócios

Precificação de serviços: saiba como fazer da forma correta

Por: Mutant, outubro 26, 2021

O assunto precificação de serviços causa arrepios? Não é para menos: esse tipo de produto tem um caráter intangível e uma relação direta com o customer experience. Há muita subjetividade na forma como a interação entre prestador e cliente é percebida, e isso pode embolar o meio de campo para quem tem a difícil tarefa de carimbar a etiqueta de preço final.

Se você está passando por esse perrengue, precisa entender que existe diferença entre preço e valor, e a compreensão desse conceito é essencial para determinar quanto dinheiro a pessoa pagará em troca do seu serviço. Mas, antes que você se desespere, nós vamos mostrar o caminho para calcular um preço que seja atrativo e justo para sua empresa. Continue a leitura e confira!

Qual a diferença entre preço e valor?

Pode parecer estranho, mas entender a diferença entre esses dois conceitos é fundamental para a correta precificação de serviços. O preço se constitui pela somatória de tudo que faz parte do serviço, ou seja, custos fixos, horas de trabalho, despesas e preço de mercado.

Sim, é preciso ficar de olho no que seu concorrente está fazendo. Porém, é nesse momento que a sua proposta de valor vai diferenciar o seu trabalho do que os outros oferecem. O valor não é representado por números, mas pelo customer experience e todos os seus benefícios. É nessa hora que você pode ganhar a dianteira com a sua experiência e as nossas soluções de business intelligence.

Qual é a importância da correta precificação de serviços?

A gente tem certeza de que você sabe que uma precificação de serviços certinha tem um grande impacto positivo nos negócios, mesmo assim nós vamos reforçar pontos importantes. Veja a seguir!

Lucro saudável

Um preço bem alinhado com a sua estratégia atrairá os clientes que você quer e afastará aqueles que representam apenas mais trabalho sem necessariamente gerar lucro. Um preço muito baixo que não cobre de forma correta custos e despesas e atrai um público que está interessado apenas em pagar pouco, e a gente sabe que não é isso que você quer, não é mesmo?

Possibilidade de investimentos de longo prazo

Não dá para planejar melhorias, investir em tecnologia ou conhecimento se tudo isso não estiver previsto no budget e as contas não estiverem equilibradas. Só dá para chegar a esse patamar se a precificação de serviços for bem-feita.

Disponibilidade de capital de giro

Esse é um recurso que precisa estar disponível em caixa para que as operações diárias aconteçam sem problemas. Sabe aquela história de “vender o almoço para pagar a janta”? Então, quando a precificação está certinha, isso não acontece.

O que levar em consideração para precificar os meus serviços?

Não há uma fórmula exclusiva. O ideal é usar conceitos básicos e agregar variáveis adequadas ao seu negócio que garantam um preço justo, um serviço de qualidade e um customer experience singular. Vamos lá?

Conheça seus custos e despesas

A precificação de serviços também leva em conta o valor mínimo que precisa ser cobrado pra que as contas sejam pagas no final do mês:

  • aluguel;
  • salários (inclusive o seu);
  • despesas de marketing;
  • luz e água;
  • transportes;
  • impostos;
  • equipamentos;
  • fornecedores etc.

Defina a margem de lucro

Com os custos para se manter apurados, é preciso calcular uma margem de lucro que permita a continuidade da empresa e sua competitividade no mercado. O conceito aqui se torna mais subjetivo e tem a ver com o valor que você considera justo e que é percebido pelo cliente.

Uma boa forma de mensurar é pensar nas soluções dos problemas que você oferece e o impacto que elas terão na vida do seu cliente, como otimização de processos ou redução de custos.

Esteja alinhado ao mercado

A menos que você tenha um serviço absolutamente exclusivo ou um bom posicionamento de marca que se destaque, como aquela empresa da maçã mordida, ele será comparado com o que há disponível no mercado e, por isso, precisa estar alinhado a essa realidade.

O valor encontrado nas etapas anteriores deve ser compatível com o que é cobrado pela concorrência para que sua empresa seja competitiva. Pra isso, será necessária uma atuação meio Sherlock Homes, em que são investigados os serviços que a concorrência oferece e quanto cobra por eles.

Leve em consideração a qualidade do serviço entregue e não apenas o que é oferecido, afinal o que importa é a experiência do cliente, lembra? Se a concorrência cobra mais barato, mas o serviço final é de qualidade inferior, não dá para comparar.

Como tudo isso se relaciona com a experiência do cliente?

Não se esqueça de que, pra tudo dar certo, tem que ter alguém que compre, né? Então, é preciso alinhar a precificação do seu serviço ao poder de compra do seu cliente. Ele tem que ficar satisfeito com a troca entre o preço que pagou e o valor que recebeu.

Nem sempre essa é uma tarefa simples, mas, quando a somatória de todas as etapas ficar muito acima do mercado, é preciso dar uma revisada e tentar reduzir custos. Também dá para usar algumas técnicas para agregar mais valor, como programa de fidelidade, vendas personalizadas, brindes e descontos.

Como as tecnologias auxiliam no processo de precificação?

A tecnologia já faz parte de praticamente tudo na nossa vida e não poderia ficar de fora quando falamos da formação de preços. Uma solução compatível com o que sua empresa precisa vira uma grande aliada.

Sabia que um sistema de cálculo automatizado facilita muito a sua vida e ainda posiciona seu negócio da melhor forma no mercado? Pense bem: com mais tempo livre, você pode focar em ações mais estratégicas e melhorar a sua relação com o cliente.

As inovações tecnológicas da Mutant colaboram com a correta precificação de serviços e ajudam a reduzir alguns gastos. Bom para o seu negócio, que fica cada vez mais competitivo, e para o consumidor final, que receberá um produto de valor com um preço justo.

Quer se preparar para conquistar o mundo? Entre em contato com a gente, pois nós podemos ajudar!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.