Negócios

Transformação digital nas empresas: o que fazer em tempos de crise?

Por: Mutant, abril 20, 2020

De uma hora pra outra, pensar a transformação digital nas empresas se tornou uma emergência. Os players do mercado precisam avançar no processo rapidamente por uma questão de sobrevivência coletiva.

Dizemos isso porque muitos serviços e produtos precisam estar disponíveis regularmente por um período, que pode ser mais ou menos longo dependendo de vários fatores médicos e sanitários de controle da pandemia. 

A garantia da oferta está diretamente relacionada à viabilização de meios digitais de compra e uso desses itens, a fim de diminuir a necessidade de sairmos de casa. Desde que a transformação digital se tornou disponível até mesmo para as empresas de menor porte, ela nunca foi tão necessária pra ajudar no desenvolvimento de soluções para diversos problemas — que nos pegaram de surpresa.

Não é uma história animadora, mas podemos fazer dela algo que também tenha aspectos positivos e duradouros. Continue a leitura e entenda como usar a tecnologia disponível para minimizar e superar o problema. 

O que é transformação digital?

A transformação digital é um processo que promove mudanças profundas na sociedade. De um modelo manual, burocrático e lento, estamos migrando para uma realidade mais dinâmica, fluida e prática com base em tecnologias que permitem que transações e relacionamentos ocorram no ambiente digital. 

É comum encontrar definições que limitam o conceito à adoção de tecnologia digital, como venda online, inteligência artificial e big data, mas a transformação é muito mais sobre como usamos os dados na busca de gerar valor — o que coloca os usuários no centro do processo, como beneficiários da mudança.

Um novo modelo de negócios, que permita à empresa operar no ambiente digital, precisa ser consolidado com a aprovação do consumidor, o que ocorre quando ele percebe um valor superior no produto ou serviço.

Desse ponto de vista, a transformação digital é um processo que usa a tecnologia pra criar modelos de negócio capazes de criar uma melhor solução de problemas, gerando uma experiência única e um melhor relacionamento com o cliente.   

Como ela pode me ajudar em tempos de crise?

Em tempos de crise, o que muda é a demanda do cliente. No momento presente, ele precisa de acesso a itens básicos e deseja manter sua qualidade de vida sem correr risco de contaminação. Sua empresa pode ajudar nisso?

Se sim, então ela tem uma oportunidade única de realizar seu propósito maior, inclusive do aspecto humano e de responsabilidade social e, ao mesmo tempo, consolidar a marca no mercado com um excelente desempenho.

Acontece que toda estratégia precisa de um suporte estrutural para funcionar. Nas condições atuais, a estrutura necessária envolve a capacidade de atender o cliente com o mínimo de contato presencial, a máxima agilidade e a adoção de boas práticas de higiene, compatíveis com a ameaça presente.

Ou seja, não é que a transformação digital pode ajudar: o que acontece é que hoje é impossível realizar algo realmente impactante, favorecendo uma experiência satisfatória, sem usar as ferramentas digitais e incorporar o mindset de mudança.

Pense, por exemplo, em uma pequena distribuidora de gás de cozinha. Um produto de primeira necessidade que precisa ser entregue regularmente, o que envolve uma logística complexa em toda a cadeia produtiva, desde a extração pela petrolífera até a entrega pela empresa do bairro. 

Para que tudo funcione do melhor jeito, o único modo será estabelecer um meio de comunicação e venda online. As informações precisam estar disponíveis e o sistema deve facilitar ao máximo o autoatendimento. Preferencialmente, o negócio deve ser pago por um meio digital, para que seja evitada a circulação do coronavírus por meio do dinheiro. 

Note que nos referimos a um tipo de negócio que, principalmente em cidades menores, funciona numa estrutura bastante tradicional. Os aplicativos de venda ainda não escalaram sua operação, como ocorreu no caso dos aplicativos de transporte, por exemplo. 

Outros setores, como o serviço de personal trainer, precisarão se adaptar para sobreviver nos próximos meses, e o único caminho é o da transformação digital. Apesar do momento difícil, é entusiasmante observar que a tecnologia de que dispomos pode ajudar as pessoas a manter a saúde do corpo e da mente. 

Embora o desafio seja grande e a tristeza de muitos seja difícil de assimilar sem sofrer junto, também podemos usar a transformação para impactar a vida de muita gente de um modo inesquecível e humano, obtendo redução de custos e consequente viabilização de soluções de alto impacto na sociedade.

Para entender a escala em que essa mudança ocorre, basta comparar o valor que as pessoas dão às facilidades de frequentar uma academia com a dedicação de um educador físico que se esforça para, mesmo em condições difíceis, prestar um serviço tão benéfico e importante.

Quais são as ferramentas pra incluir na minha estratégia?

Os exemplos da distribuidora e do personal podem ter facilitado o seu entendimento da lógica que procuramos passar, mas isso não significa que eles sirvam pra você pensar diretamente sobre as suas estratégias.

O que você tem de entender é a necessidade de contar com soluções práticas pra transformar sua empresa rapidamente. Por isso, neste último tópico, vamos mudar um pouco o tom do texto pra entregar o que possa ajudar na aplicação do que falamos até aqui. 

Em primeiro lugar, pense que nem sempre as empresas conseguem construir soluções altamente significativas do dia pra noite, principalmente em uma situação que não foi planejada, como a atual. Para muitos, não parar nesse período já pode ser uma grande conquista.

Pensando assim, considere que a simples implantação da tecnologia entrega automação imediata e oferece soluções prontas na forma de plataformas e sistemas para o comércio digital. Se você vai usar todo o potencial desses recursos ou apenas manter a operação no momento com algumas funcionalidades, esta é uma definição que depende da realidade da sua empresa.

Tecnologia de autoatendimento

Sistemas fáceis de implantar e começar a operar podem ajudar no direcionamento do cliente e permitem acesso aos usuários e à equipe por diferentes meios. Alguns deles adotam inteligência artificial de maior ou menor complexidade para fornecer informações que podem ajudar o cliente a entender as mudanças implementadas, sem a necessidade de um atendimento humano, o que também é possível oferecer por meio de um chatbot ou assistente virtual.

Plataformas digitais

Manter colaboradores na empresa e em constante locomoção não é uma medida aconselhável e está proibida em muitos casos. Por isso, as empresas que continuarão operando precisarão gerenciar o trabalho remoto, que só funciona com perfeição com a adoção de uma plataforma desenvolvida para essa finalidade.  

Blockchain

Embora muito ligada às moedas digitais, a blockchain é uma tecnologia usada pelas criptomoedas, mas que oferece várias aplicações distintas. Ela permite o registro de transações comerciais e a adoção de smart contracts, que automatizam procedimentos de gestão de contratos.

Robotic process automation

Essa tecnologia pode ser muito útil na solução de problemas emergenciais, pois automatiza tarefas e procedimentos mesmo que a empresa utilize sistemas antigos, com aplicações datadas.

Essa automação usa softwares (robôs) programados para funções específicas, como fazer a coleta de dados de sistemas antigos e lançá-los em plataformas avançadas para que elas façam o trabalho necessário.

Para concluir, lembre-se de que a transformação digital nas empresas não começou agora e não vai terminar depois que superarmos os problemas mais urgentes. Ela pode ser usada em qualquer crise, ou mesmo em períodos de prosperidade. Isto é, seu papel é o de mudar a natureza das soluções que encontramos para resolver os problemas dos nossos clientes.

Neste período de isolamento, aproveite um pouco do tempo pra buscar informação relevante. Assine nossa newsletter e receba conteúdos gratuitos que vão ajudar na superação dos desafios!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.