Tecnologia

Cansado do bê-a-bá da venda digital? Estamos juntos, vamos além!

Por: Mutant, novembro 22, 2021

Transformação. Talvez uma das palavras que mais vimos nos últimos tempos. E mesmo que você já tenha uma boa ideia do que deve ser feito pra se adequar à nova realidade dos negócios — a famosa venda digital —, saiba que desenvolver o mindset inovador da sua empresa é a chave do sucesso.

Sobre isso, vamos te dar um conselho: investir em novas tecnologias vai ajudar bastante na corrida por uma performance fluida e eficiente. Podemos dar a largada?

Mais urgente que plantão

Sim, no corre do mundo, é de venda digital que a sua empresa necessita pra sobreviver no mercado. O comércio online veio apresentando um crescimento contínuo e significativo. Mas todo mundo sabe: a pandemia do coronavírus chegou e aí vender pela internet se tornou uma solução obrigatória.

Quer números? Dados divulgados pelo portal E-commerce Brasil, no período de maio, entre junho e julho de 2020, houve um aumento de 259,3 milhões de acessos aos sites de comércio virtual.

Quem já vendia pela internet conseguiu nadar de braçada no novo cenário e faturar ainda mais. Agora, quem ainda não explorava esse mundo passou aperto e precisou criar canais digitais em um piscar de olhos.

Moral da história? As formas de interagir e atender os consumidores nunca mais serão as mesmas. A tendência da venda digital veio pra ficar.

Então, #bora manter a competitividade? É justamente por isso que você deve se aprofundar no modelo e construir uma estratégia sólida o quanto antes.

Sem desafios, nem teria graça

Liderar um processo de digital transformation nunca é uma tarefa fácil. E um dos principais pontos a vencer na era de transformação digital é: como conseguir vender? #agenteteexplica

Automatizar processos

A perspectiva de vendas mudou. E assim a automação de processos ganhou um papel de destaque nas operações de vendas. A missão é viabilizar:

  • tratamento de dados;
  • controle de pedidos;
  • meios de pagamento;
  • segurança.

Isso pode ser um tanto complexo, claro. Mas saiba que é ou vai, ou racha: não é possível vencer no mundo digital sem o apoio de tecnologias eficientes.

Ser útil ao consumidor

A palavra-chave dos bons resultados na venda digital é engajamento. Sabe por quê? Como as barreiras físicas deixaram de ser um obstáculo, o público vai encontrar inúmeras empresas ofertando produtos ou serviços semelhantes.

Então, sacar o que está passando na cabeça das pessoas e apresentar uma interação personalizada é o segredo pra se destacar da concorrência. De quebra, você ainda vai fazer com que a sua marca fique na memória delas.

Bom, e qual é a receita? O segredo é adaptar o tom do marketing. Você já sabe que o consumidor moderno é exigente e valoriza o posicionamento das marcas.

E aí, nada melhor do que conteúdo relevante pra gerar uma conexão mais íntima e preparar seus alvos pra fazer compras futuras com você, certo?

Fortalecer a presença online

A presença digital forte é um passo sábio pra conquistar cada vez mais clientes. Quer ver só um exemplo? As pessoas já estavam bem presentes e ativas nas mídias sociais, mas, com a quarentena, passaram a ficar mais em casa e gastar um tempo bem maior nas plataformas.

“E o que a minha empresa tem a ver com isso?”

Bem, é simples: se ela for vista nesses canais, vai despertar interesse em potenciais compradores, que podem ser guiados diretamente às suas páginas de vendas.

A tarefa não é simples, especialmente porque não envolve apenas o domínio da tecnologia. O segredo está no equilíbrio entre se fazer constante, porém, não ser invasivo. #quevençamosmelhores

Diagnóstico de vendas é obrigação

Algumas empresas elaboram metodologias e processos comerciais quase que exclusivamente com base em técnicas de vendas, persuasão e negociação.

Ninguém vai negar a importância de tudo isso, mas os números não podem ficar de fora da avaliação. Eles têm um papel fundamental de garantir que o modelo de negócios será viável.

Por isso, pense no diagnóstico de vendas com o mindset de resultados, oportunidades, forças e fraquezas. A gente te mostra agora como avaliar esse quarteto fantástico.

Resultados

Os indicadores de vendas estabelecem as prioridades do que precisa ser melhorado. Além dos números elementares, como total de vendas, média por pedido e taxa de conversão, não dá pra deixar de mensurar informações como taxa de churn, Custo de Aquisição de Clientes (CAC) e, principalmente, lucratividade.

Não é incomum encontrar vendedores campeões, por exemplo, que levam todos os prêmios do mês, mas que focam na venda de promoções e exageram nos descontos. Comparados aos que estão em segundo ou terceiro lugares, muitas vezes, eles trazem um lucro menor — não apenas em percentual, mas no total.

Sem os indicadores corretos, a empresa não vai perceber esse tipo de detalhe e pode até incentivar práticas que não são boas pra ela. É por isso que os números são tão importantes, entendeu?

Pra determinar as métricas que precisam ser acompanhadas, levante os pontos-chave que determinam o sucesso da empresa e defina o melhor indicador pra acompanhar cada um. Um monitoramento que deve ser constante e periódico, pra que você possa trabalhar a melhoria de um jeito constante.

Oportunidades

Ao mesmo tempo, o mercado dinâmico da atualidade abre várias portas. Um diagnóstico baseado em dados, considerando a jornada do cliente e a percepção do consumidor em relação à experiência de compra, vai permitir identificar e mensurar o potencial de oportunidades. E elas estão disponíveis pra quem souber aproveitar!

Forças e fraquezas

E pra aproveitar as oportunidades e melhorar os números, a equipe precisa de competências específicas, assim como a empresa necessita de estrutura adequada.

Além do mais, podem ocorrer resistências e até boicotes a algumas boas ideias, tudo isso por causa da cultura organizacional atrasada e da falta de liderança pra reverter o problema.

Um diagnóstico de forças e fraquezas é fundamental nessa hora, pra levantar o que deve ser minimizado e o que pode ser potencializado — aumentando a competitividade da marca.

#SeLiga! Os processos, sistemas, modelos de negócios e recursos precisam ser colocados à prova pra ter um plano matador e com visão estratégica.

As diferenças entre venda digital e venda virtual

Embora ambas as modalidades aconteçam no ambiente on-line, a grande diferença entre a venda digital e a venda virtual está no fator interação humana. Isso mesmo, você não entendeu errado.

No primeiro caso, sempre existe uma pessoa por trás do aplicativo ou redes sociais pra direcionar o cliente ao longo da jornada de compra — pode ser pra encaminhá-lo a uma plataforma de compra, negociar e esclarecer as formas de pagamento, entre outras ações.

Resumindo, é aquela venda que você não precisa, necessariamente, ter um site ou loja virtual — tal como acontece nas compras realizadas pelo WhatsApp.

As vendas digitais são uma excelente estratégia para quem está iniciando um negócio online e ainda precisa entender a dinâmica do mercado, conhecer a aceitação do seu produto antes de dar um passo maior e investir em um e-commerce.

Já a venda virtual, por sua vez, é o modelo no qual o processo de compra e venda é totalmente automatizado. O consumidor chega até a loja, escolhe o produto ou serviço desejado e finaliza sua transação, sem nenhum contato com vendedores ou qualquer outra pessoa.

E cadê as vantagens de dar o play na vendas pelo call center?

A venda por call center reduz o tempo de espera e garante um atendimento humanizado. Isso, claro, se a empresa aplicar os processos certos.

As vantagens são várias, como a diminuição de custos, o aumento da agilidade e a possibilidade de monitoramento — algo mais difícil nas atividades de campo.

Muitos modelos de negócios inovadores são apoiados por excelentes metodologias e processos de atendimento telefônico. Dão respostas rápidas e personalizadas, desde que contem com uma equipe capacitada e recursos tecnológicos implantados com foco no cliente, na experiência e na humanização.

A Unidade de Resposta Audível (URA) é uma opção. Ela aumenta a produtividade e melhora a retenção de ligações, além de fornecer mecanismos de controle detalhados e confiáveis. Bom demais, não é?

O nível de automação é altíssimo, permitindo um alto ganho de desempenho. Além disso, a URA pode ser integrada a outros sistemas, e quem ganha com isso é o desenho da estratégia omnichannel.

Vale a pena vender por app?

Vender por app é uma tendência nas empresas. Afinal, favorece a experiência do consumidor. Essa afirmação é válida tanto para os aplicativos usados pelo cliente quanto para os que dão suporte à equipe comercial. Quer ver os benefícios?

Autoatendimento

Quando a empresa desenvolve um app intuitivo, funcional e dinâmico, atende à preferência do consumidor. É que o cliente assume o protagonismo no momento da compra — ele prefere resolver os próprios problemas quando tem as ferramentas certas, porque isso agiliza o processo.

Também se sente mais confortável ao administrar ele mesmo as ações. Assim, a equipe de atendimento pode focar na resolução das dores que a pessoa não pode curar sozinha. No final, o resultado é um processo prático, ágil, dinâmico e barato.

Suporte à equipe

Ao mesmo tempo, existem aplicações que dão acesso às equipes de atendimento e vendas — onde, quando e como precisam. Estamos falando de:

  • acompanhamento do funil de vendas;
  • armazenamento de dados;
  • segmentação de clientes;
  • registro e acompanhamento de indicadores.

Aumentando as vendas no ambiente virtual

Obviamente, cada negócio possui características próprias e um público específico, mas algumas ações são obrigatórias pra quem deseja ver o crescimento do seu volume de vendas. Acompanhe algumas delas a seguir.

Conheça o público-alvo

Um dos principais segredos para aumentar as vendas online está mais próximo do que muitos empreendedores podem imaginar: o seu cliente.

Entender o comportamento do público-alvo, e sobretudo as suas dores, é a peça-chave pra empresa ajustar o tom de fala e os seus processos, a fim de criar experiências memoráveis.

Mas atenção! A preferência das pessoas muda constantemente. Por isso, é fundamental sempre coletar dados, analisar tendências e características do mercado, e até mesmo dialogar com essas pessoas.

Isso vai proporcionar um melhor entendimento de quais ferramentas utilizar e como agir diante da sua audiência.

Determine funções na equipe de vendas

Outro ponto decisivo pra quem busca aumentar a venda digital é ter uma equipe de vendedores com funções bem definidas.

O raciocínio é o seguinte: se cada colaborador tiver consciência do seu papel, isso contribui não só pro alinhamento com os objetivos da empresa, mas também pra uma interação mais assertiva.

Assim, cada um deles fará o seu trabalho melhor, entregando soluções que gerem valor para o cliente.

Mostre o valor do que é vendido

Quando o assunto é venda digital, existe um ponto comum a todos os negócios: as pessoas sempre vão ter dúvidas sobre os seus produtos. Mais precisamente, se eles realmente valem o preço que está sendo ofertado.

E é aí que entra o seu papel, enquanto gestor, de adotar estratégias pra mostrar o valor do que é vendido no seu comércio digital. Mostre avaliações e depoimentos sinceros de outros clientes, divulgue-os no seu site ou redes sociais.

Lembre-se: exemplos reais geram confiança e influenciam outras pessoas a comprar.

Planeje as ofertas e os argumentos para as vendas

A experiência com o produto e o atendimento da loja são elementos decisivos para conquistar o coração dos seus clientes. Mas você já viu como eles também adoram uma oferta?

É que as promoções geram uma ideia de ótimo custo-benefício, e assim deixam as pessoas mais propensas a engajar com o seu comércio.

Portanto, pra ter sucesso na venda digital é importante planejar bem suas ofertas, de forma que elas se encaixem nas expectativas do mercado. Prepare bons argumentos e #partiusedestacardaconcorrência.

Adapte o processo de compra offline ao online

A atenção das pessoas é um dos ativos mais valiosos do mundo dos negócios na atualidade. E, como elas estão cada vez mais presentes no ambiente online, o crescimento das vendas digitais também depende de uma presença forte nesse cenário.

Por isso, adaptar o processo de compra offline ao online tornou-se uma medida indispensável. A ideia é interagir com o consumidor em diferentes canais, proporcionando a mesma qualidade de atendimento.

Sabe por que? Essa conexão aumenta as chances de fechar negócio e otimizar os resultados da empresa de um modo geral.

Uma solução especializada ajuda demais, viu

O novo consumidor tem comportamentos, necessidades, hábitos e desejos bem particulares. E a gente sabe que o processo de atendimento precisa ser humanizado e personalizado, não é mesmo?

Por isso, nada melhor do que um apoio especializado pra ajudar a empresa a entender que existem aspectos de liderança, métodos e práticas que exigem aprimoramento.

A gente pode te contar um segredo? No final, é tudo sobre pessoas:

  • como elas interagem;
  • como se comportam;
  • onde querem estar;
  • como constroem — ou desejam construir — felicidade e bem-estar.

Mas de nada adianta o máximo de esforço pra desenvolver o modelo ideal sem os recursos certos. Então, a venda digital precisa ser apoiada por uma URA baseada em três pilares: experiência, humanização e linguagem. É esse direcionamento que vai:

  • garantir uma linguagem fluida e natural;
  • melhorar a interação;
  • aumentar a fidelização e a retenção;
  • permitir o autoatendimento;
  • reduzir o tempo de espera e os custos operacionais.

Viu como a venda digital não é um bicho de sete cabeças? Com recursos adequados, suporte de uma equipe especializada, expertise e comprometimento em uma abordagem humanizada, dá pra proporcionar uma melhor experiência e ter sucesso nesse modelo que não para de crescer.

Animou pra colocar todas as dicas em prática? A gente tem excelentes soluções pra te ajudar. Tome atitude e entre em contato com o time da Mutant.

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.